DISCUSSÃO - PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO E COMUNIDADES LOCAIS: UMA FORÇA DE TRANSFORMAÇÃO NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

Gary Warrick

Resumo


A Conferência da Associação de Estudos Críticos de Patrimônio de 2016, ocorrida em Montreal, Canadá, colocou uma questão “O que o patrimônio muda?”. A sessão organizada por Allison Bain e Réginald Auger teve como objetivo analisar os aspectos arqueológicos sob o título “O que o patrimônio muda? Estudos de caso na Arqueologia.” Os artigos apresentados, de escopo internacional, passam uma mensagem comum: arqueologia contemporânea serve melhor a humanidade quando os governos protegem sítios arqueológicos com legislação, financiamento e gestão; quando a propriedade patrimonial é reconhecida; pesquisa comunitária é realizada; e quando arqueólogos estabelecem parcerias de longa duração com a comunidade local. Arqueologia pode se tornar um instrumento de mudança no mundo contemporâneo, em especial para o bem-estar das comunidades locais.

Palavras-chave


Arqueologia comunitária; população indígena; gestão de patrimônio

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/his.v66i2.60821

Licença Creative Commons Os textos da revista estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
 
História: Questões & Debates. ISSN: 0100-6932 e e-ISSN: 2447-8261.
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná (PPGHIS-UFPR) - com apoio da da Associação Paranaense de História (APAH)

Universidade Federal do Paraná
Rua General Carneiro, 460, 7º andar
Curitiba – Paraná – Brasil - CEP: 80060-150