ARQUEOLOGIA, CULTURA MATERIAL E INCLUSÃO SOCIAL NO BRASIL

Pedro Paulo A. Funari, Renata S. Garraffoni, Maria Aparecida de Almeida

Resumo


Patrimônio é um tema complexo. Pode ser considerado uma maneira de transmitir sabedorias ou ensimanento morais, mas também pode se tornar instrumento importante para desafiar ideias e práticas estabelecidas, provocando o pensamento crítico e a ação. Tudo depende de como entedemos o que é patrimônio. O objetivo central desse artigo é discutir exatamente essa questão, explorando os significados dessa segunda perspectiva: os autores discutirão três estudos de caso no Brasil para arugumentar que cultura material, quando entendida de maneira mais progressiva, pode promover inclusão social e empoderamento.

Palavras-chave


Arqueologia pública; patrimônio; inclusão social

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/his.v66i2.60818

Licença Creative Commons Os textos da revista estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
 
História: Questões & Debates. ISSN: 0100-6932 e e-ISSN: 2447-8261.
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná (PPGHIS-UFPR) - com apoio da da Associação Paranaense de História (APAH)

Universidade Federal do Paraná
Rua General Carneiro, 460, 7º andar
Curitiba – Paraná – Brasil - CEP: 80060-150