A NATUREZA E O GAÚCHO HERÓI NAS TRAMAS DA HISTÓRIA: TENSIONAMENTOS FOUCAULTIANOS

Virgínia Tavares Vieira, Paula Corrêa Henning

Resumo


O presente artigo tem como objetivo colocar em evidência o conceito de História do Presente e Genealogia, a partir dos estudos do filósofo francês Michel Foucault. Nossa proposta está em problematizar a emergência de saberes, que atrelados a relações de força, vem fabricando uma natureza marcada por ideal de beleza e romantismo no Pampa do Rio Grande do Sul. Demarcamos ainda condições de emergência para constituição de um sujeito gaúcho tomado como herói a partir de alguns acontecimentos históricos e da música pampeana. Apoiadas no pensamento de Michel Foucault, problematizamos a fabricação de um espaço geográfico e cultural marcado pela beleza, pela fartura – por glórias e façanhas. Vale tensionar a história problematizando como relações saber-poder nos fabricam enquanto sujeitos pampeanos contemporâneos. É no desejo de tensionar verdades estabelecidas que nos subjetivam enquanto sujeitos fabricados e imiscuídos nas tramas da história que este texto foi escrito. Políticas de formação e subjetividades gaúchas merecem um olhar cuidadoso e provocativo.


Palavras-chave


Michel Foucault; História do Presente; Música Pampena;

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/his.v65i2.50212

Licença Creative Commons Os textos da revista estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
 
História: Questões & Debates. ISSN: 0100-6932 e e-ISSN: 2447-8261.
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná (PPGHIS-UFPR) - com apoio da da Associação Paranaense de História (APAH)

Universidade Federal do Paraná
Rua General Carneiro, 460, 7º andar
Curitiba – Paraná – Brasil - CEP: 80060-150