CRIAÇÃO E APLICAÇÃO DE UM ÍNDICE PARA A ANÁLISE DA QUALIDADE AMBIENTAL DE PRAIAS COM BASE EM PRAIAS DO MUNICÍPIO DE NITERÓI, RIO DE JANEIRO

Melanie Lopes Silva, Rebeca Castro Oliveira, Fábio Vieira Araújo

Resumo


Índices de qualidade ambiental são instrumentos da política ambiental que servem como ferramenta para a gestão, sendo úteis para verificar a qualidade de um local ou tipo específico de ecossistema além de possibilitarem comparações entre locais diferentes. As praias, apesar de serem intensamente utilizadas pela população e sofrerem diversos impactos, são ambientes que não possuem um índice que englobe aspectos ambientais, sociais e políticos. Sendo assim, a fim de criar um índice de qualidade ambiental para praias, com base no modelo Pressão-Estado-Resposta (PER) (OCDE, 1993), analisamos quatro praias do município de Niterói, RJ: Sossego, Camboinhas, Charitas e Flechas. Foram coletados dados quanto aos parâmetros físico-químicos, microbiológicos, presença de resíduos sólidos nas praias, frequência da coleta de resíduos nas praias, intensidade de uso do ambiente, dados sobre projetos de educação ambiental, legislação e áreas de proteção ambiental. As avaliações realizadas nas praias do Sossego e Camboinhas permitem afirmar que estes locais apresentam boas condições de uso, mas não possuem medidas que visem a conservação dos mesmos, podendo vir a sofrer com as pressões exercidas ali. As praias de Charitas e Flechas, encontram-se com uma qualidade ambiental inferior, exigindo atenção especial do governo para que sejam implementadas medidas de gestão e educação ambiental. A utilização do índice se mostrou uma importante ferramenta para tornar clara a situação destes ambientes, servindo como subsídio para ações do governo, como a implantação de programas de educação ambiental, criação de leis, direcionamento para os serviços públicos e esclarecimento para a população quanto à qualidade do ambiente que frequenta.


Palavras-chave


Índice de qualidade ambiental; Niterói; Poluição; Praias

Texto completo:

AUTORIZAÇÃO ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v13i1.51332

Revista Geografar ISSN: 1981-089X