As limitações da aplicação da Interdependência Complexa no Regime Internacional de Mudança Climática (RIMC)

Aimara Cobério Terena de Aguiar

Resumo


No ano de 1720, ocorreu a Revolução Industrial, um evento que gerou a intensificação das ações antrópicas, que degradam o meio ambiente global. O crescimento da exploração do meio ambiente tem gerado consequências negativas sobre o dia a dia de inúmeras sociedades no planeta, como mudança climática, tsunamis, furacões e secas, acarretando, assim, o crescimento da presença da pauta ambiental nos debates do sistema internacional. Isso posto, o presente trabalho discute a aplicabilidade da teoria da Interdependência Complexa (IC), fora do contexto em que ela foi criada, isto é, em um período marcado pelo Regime Internacional de Mudança Climática (RIMC). Para tal fim, o artigo objetiva discorrer acerca da teoria da Interdependência Complexa, visando estabelecer suas características centrais e dissertar sobre a estrutura do RIMC, para, a partir disso, analisar a aplicabilidade da teoria em relação ao regime. A metodologia escolhida foi a análise bibliográfica do Power and Interdependence de Keohane e Nye (2012), uma obra chave quando o foco é a IC. Assim, observa-se que muitos atributos da IC podem ser utilizados para compreender o RIMC, visto que o regime pode ser analisado a partir dos elementos centrais da IC.

Palavras-Chave: Conceitos; Aquecimento Global; Interdependência Complexa; RIMC.


Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTES PÚBLICOS. IPCC cobra mais rapidez na adoção de combustíveis limpos. s/d. Disponível em: < http://www.antp.org.br/noticias/clippings/ipcc-cobra-mais-rapidez-na-adocao-de- combustiveis-limpos.html > Acesso em: 10/02/2020.

BRAGA, Patrícia Benedita Aparecida; LANZA, Fabio. Tuvaluanos desassistidos globalmente em face da mudança climática: documentos oficiais, direitos humanos e o “não futuro”?. Ambiente & Sociedade, São Paulo v. 19, n. 4, p. 139-156, out.-dez. 2016.

BODANSKY, Daniel. The History of the Global Climate Change Regime. In: LUTERBACHER, Urs; SPRINZ, Detlef F.(eds.) International Relations and Global Climate Change. Massachusetts: MIT Press, 2001. cap. 2 p. 23-40.

CAPINZAIKI , Marilia Romão. Regimes internacionais e governança climática: reflexões teóricas e perspectivas, s/d.

CLIMATEWATCH. GHG Emissions. Data, 2019. Disponível em:< https://www.climatewatchdata.org/ghg-emissions>. Acesso, em: 18/08/2020.

COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. Editora da Fundação Getúlio Vargas. 2 ed. 1991.

CONSERVATION IN A CHANGING CLIMATE. Carbon Dioxide, Methane, Nitrous Oxide and Greenhouse Effect. 2017. Disponível em: Acesso em: 10/02/2020.

HENRIQUE, Renata Tavares. O regime de mudanças climáticas e os desafios de sua implementação: análise do caso brasileiro. Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais, 2010.

KAUL, I.; GRUNBERG, I. & STERN, M. Global public goods. Oxford, Oxford University Press, 1999.

KEOHANE, Robert O.; NYE, Joseph S. Power and Interdependence. Fourth Edition. Boston: Ed. Longman, 2012a.

KEOHANE, Robert O.; NYE, Joseph S. Power and Interdependence Revisited. International Organization, Vol. 41, No. 4 (Autumn, 1987), pp. 725-753, 2012b.

KRASNER, Stephen D. Structural Causes and Regime Consequences: Regimes as Intervening Variables. International Organization. Cambridge (MA), v. 36, n. 2, p. 185-205, Spring,1982.

KLOSS, Emerson Coraiola. A Atmosfera como um bem public global: soluções cooperativas para a mudança do clima. Arq. Apadec, v.7, n.1, jan-jun, 2003.

LIMA, Rodrigo Carvalho de Abreu. Interdependência e Assimetria: Dilemas das Relações Internacionais Contemporâneas. In: OLIVEIRA, Odete Maria de; DAL RI, Arno Jr. (org.). Relações Internacionais: Interdependência e Sociedade Global. Rio Grande do Sul: Unijuí, 2003, p. 278-279.

MENDES, Thiago de Araújo. Desenvolvimento Sustentável, Política e Gestão da Mudança Global do Clima: sinergias e contradições brasileiras. 2014. 672 f. Tese (Doutorado) - Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável. 2014.

MINITÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Convenção sobre Mudança do Clima. Editado e traduzido pelo Ministério da Ciência e Tecnologia com o apoio do Ministério das Relações Exteriores da República Federativa do Brasil, s/d.

MOREIRA, Helena Margarido; GIOMETTI, Analúcia Bueno dos Reis. O Protocolo de Quioto e as Possibilidades de Inserção do Brasil no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo por meio de Projetos em Energia Limpa. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, vol. 30, n. 1, jan-abr 2008, p. 9-47.

OLSON, Mancur. The logic of collective action. Harvard, Harvard University Press, 1971.

PESSINI, Leo. Evolução Histórica e política das principais conferências mundiais da ONU sobre o clima e o meio ambiente. Revista Iberoamericana De Bioética, n. 1. Disponível em: . Acesso em 03/09/2020.

RODRIGUES, Noeli. Teoria da Interdependência: os conceitos de sensibilidade e vulnerabilidade nas Organizações Internacionais. Conjuntura Global, v.3, n.2, abr-jun., 2014, p. 107-116.

SIQUEIRA, Cynthia Danielle. Regime Internacional de Mudanças Climáticas e Segurança Energética. Mediações, Londrina, v. 16, n.2, 2011, p. 210-227.

SILVA, Danielle Aita da; SPAREMBERGUER, Raquel Fabiana Lopes. A relação homem, meio ambiente, desenvolvimento e o papel do direito ambiental. Revista da Escola Superior Dom Helder Câmara, Veredas do Direito v. 2, n. 4, jul. a dez., 2005.

SOUZA, Maria Cristina Oliveira; CORAZZAR, Rosana Icassatti. Do Protocolo Kyoto ao Acordo de Paris: uma análise das mudanças no regime climático global a partir do estudo da evolução de perfis de emissões de gases de efeito estufa. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal do Paraná, v. 42, p. 52-80, dez. 2017.

TSEBELIS, George. Jogos ocultos: escolha racional no campo da política comparada. São Paulo: Editora Universidade de São Paulo, 1998.

UNITED NATIONS FRAMEWORK CONVENTION ON CLIMATE CHANGE. United Nations. 1992. Disponível em: < https://unfccc.int/resource/docs/convkp/conveng.pdf> Acesso em: 10/02/ 2020.

VIOLA, Eduardo. O Regime Internacional de Mudança Climática e o Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v.17, n.50, out. 2002.

WALTZ, Kenneth N. Theory of International Politics. University of California, Berkeley. 1979.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cg.v9i2.74633

Apontamentos

  • Não há apontamentos.