PACIENTES EM HEMODIÁLISE COM DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM VOLUME DE LÍQUIDOS EXCESSIVO: ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS E CLÍNICOS

Maria Isabel da Conceição Dias Fernandes, Priscila Kaline de Andrade Silva, Anna Lívia de Medeiros Dantas, Maria Graças Mariano Nunes de Paiva, Marilia Gabriela de Azevedo Araújo, Ana Luisa Brandão de Carvalho Lira

Resumo


Objetivou-se descrever aspectos socioeconômicos e clínicos de pacientes renais crônicos em
hemodiálise com o diagnóstico de enfermagem Volume de líquidos excessivo. Estudo transversal, realizado em
hospital universitário e clínica de hemodiálise do Nordeste do Brasil, com amostra de 100 pacientes. A coleta de
dados em formulário abrangeu os dados clínicos e socioeconômicos, entre dezembro de 2012 a abril de 2013.
A maioria dos pacientes com diagnóstico era do sexo feminino, raça parda, aposentado, possuíam companheiro,
professavam religião, tinham média de idade de 50,4 anos, 6,5 anos de estudo e dois salários mínimos. Ainda,
apresentava hipertensão, azotemia e hipercalemia, com mediana de 37 meses com doença renal e 33,5
meses em hemodiálise. Em terapia medicamentosa com cloridrato de sevelamer, ácido fólico, eritropoietina
humana recombinante e anti-hipertensivos. Identificar aspectos socioeconômicos e clínicos contribuiu para o
conhecimento da equipe de enfermagem acerca do contexto em que os pacientes renais crônicos estão inseridos. 


Palavras-chave


Fatores socioeconômicos; Diálise renal; Líquidos corporais; Diagnóstico de enfermagem.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v20i1.37627 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133