Perspectivas tikmũ’ũn_maxakali sobre a história da ditadura e os desafios da justiça de transição no “tempo dos golpes”

Paula Berbert

Resumo


Este artigo aborda as formulações dos Tikmũ’ũn_Maxakali sobre a história de sua relação com o Estado. A partir das marcações temporais de nossos interlocutores, tratamos das continuidades históricas da guerra colonial no tempo presente, uma “ditadura que nunca acaba”, e que lhes impossibilita o acesso à justiça de transição. Analisando os fluxos de golpe atualmente costurados por dentro da institucionalidade democrática do Brasil, refletimos sobre os desafios da efetivação do direito originário à terra como como medida transicional elementar aos povos indígenas.


Palavras-chave


Tikmũ’ũn_Maxakali; Histórias Indígenas; Ditadura; Justiça de Transição

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cra.v20i2.69866

Direitos autorais 2020 Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista