Percebendo o ambiente na Lapônia finlandesa

Tim Ingold, Terhi Kurttila

Resumo


O artigo, a partir da etnografia da vida de agricultores da etnia Sami, moradores da Lapônia finlandesa, discute a ideia de "tradição" e a forma como conhecimentos sobre o ambiente são produzidos. Escapando da dualidade tradição x modernidade, cuja oposição é construída, afirmam os autores, em termos incomensuráveis frente à experiência vivida das pessoas, o que se propõe é uma forma de falar sobre tradição que soe mais consonante com as sensibilidades locais. Desta perspectiva, um conhecimento que se pretenda tradicional, para os autores, não é aquele que é transmitido como parte de um “modelo cultural” recebido do passado para a interpretação da experiência presente (que eles chamam de "modelo genealógico"), mas sim extraído dos contextos interativos nos quais as pessoas tornam-se conscientemente atentas da sua particular habilidade de conhecer. Assim, os grupos locais não só aplicam seu conhecimento na prática, mas, antes e fundamentalmente, conhecem por meio da sua prática.

 


Palavras-chave


Antropologia; Ambiente; Conhecimento; Tradição

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cra.v19i1.55908

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista