Uma sociocosmologia e seus componentes: de um modelo mítico às operações xamânicas Ayoreo

Leif Ericksson Nunes Grünewald

Resumo


Neste artigo, busca-se conectar um conjunto de relatos sobre eventos míticos de constituição de mundos heterogêneos entre si à descrição sobre o xamanismo Ayoreo, um grupo Chaquenho falante de uma língua Zamuco que habita tradicionalmente a região do Chaco Boreal mas distribui-se até a região do alto Paraguay. Com esse propósito, e através da exposição das conexões entre os tempos míticos e as operações xamânicas dos tempos atuais, deseja-se analisar especialmente o modo como ambos se articulam na definição das categorias ontológicas que constam na sociocosmologia Ayoreo e suas espécies distintas de habitantes que a compõem.


Palavras-chave


Mitologia; Natureza; Ayoreo; Chaco; Xamanismo

Texto completo:

PDF

Referências


BREMEN, Volker Von. 1991. Zwischen Anpassung und Aneignung: Zur Problematik von Wildbeuter-Gesellschaften im modernen Weltsystem am Beispiel der Ayoréode. München: Anacon-Verl.

DELEUZE, Gilles. 2016. Crítica e Clínica. Rio de Janeiro: Editora 34

DESCOLA, Philippe. 2005. Par-delà nature et culture. Paris: Gallimard

AUTOR. 2015. O Fascismo dos Homens Bons: Sobre padres e os Ayoréode do Alto Paraguay. Tese de Doutorado. Niterói: Universidade Federal Fluminense

KELM, Heinz 1971 “Das Jahrefest der Ayoreo Indianer”, Baessler-Archiv, Neue Folge, Band XIX, pp. 97-140.

LÉVI-STRAUSS, Claude. 1985. La potière jalouse. Paris: Plon

___________. 2004. O Cru e o Cozido: Mitológicas I. São Paulo: Cosac Naify,

LORIS-RODIONOFF, Charlotte. 2012). Des Metaphysiques Cannibales A La Philosophie Anthropophage Esquisse D’une Anthropo-Philosophie. Dissertação de Mestrado. Toulouse: Université de Toulouse le Mirail,

OTAEGUI, Alfonso. 2014. Les Chants De Nostalgie Et De Tristesse Des Ayoreo Du Chaco Boréal Paraguayen (Une Ethnographie Des Liens Coupés). Tese de Doutorado. Paris: École Des Hautes Études En Sciences Sociales

OVERING, Joanna. 1984. “Dualism as an expression of difference and danger: marriage exchange and reciprocity among the Piaroa of Venezuela”, in: K. Kensinger (org.). Marriage Practices in Lowland South American Societies. Urbana: Univ. of Illinois Press, pp. 127-155.

SEBAG, Lucien, 1965. “Le chamanisme ayoréo”, L’Homme v.1, janeiro-março: 7-32; v.2, abril-junho: 92-122

SEEGER, Anthony. 1980. Os Índios e Nós: estudos sobre sociedades tribais brasileiras. Rio de Janeiro: Campus

___________. 1977: Les Ayoré du Chaco septentrional. Étude critique à partir des notes de Lucien Sebag. La Haya: Mouton

SZTUTMAN, Renato. 2005. O profeta e o principal. A ação política ameríndia e seus personagens. Tese de Doutorado. São Paulo: Universidade de São Paulo.

__________.2006.Cartografias xamânicas nas Guianas. Texto apresentado no colóquio “Guiana Ameríndi

VIVEIROS DE CASTRO. 1986. Araweté: Os Deuses Canibais. Rio de Janeiro : Jorge Zahar.

___________. 1992. From the Enemy's Point of View: Humanity and Divinity in an Amazonian Society. Chicago: University of Chicago Press.

___________. 1993. "Alguns Aspectos da Afinidade no Dravidianato Amazônico". In: E. Viveiros de Castro e M. Carneiro da Cunha (orgs.), Amazônia: Etnologia e História Indígena. São Paulo: NHII/USP-FAPESP. pp. 149-210.

___________. 1996. “Os pronomes cosmológicos e o perspectivismo ameríndio”. Mana 2. Rio de Janeiro: Museu Nacional, Contra Capa . pp. 115-144

___________.2002 Atualização e contraefetuação do virtual: o processo do parentesco. in: Viveiros de Castro,Eduardo: A inconstância da alma selvagem e outros ensaios de antropologia . São Paulo: Cosac &Naify, 401-456.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cra.v17i2.50392

Direitos autorais 2018 Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista