Fazendo caminhos, conformando relações: A história de um Xuve, Seu Calixto Francelino

Carolina Perini de Almeida

Resumo


Busco refletir aqui sobre as dinâmicas territoriais e familiares entre os Terena, povo indígena de língua Aruak, habitante do pantanal sul-mato-grossense, a partir de uma biografia. Assim, neste trabalho conto um pouco sobre o que aprendi da vida de Seu Calixto Francelino, o meu principal e mais antigo interlocutor, do qual tive o privilégio de me tornar amiga e poder registrar a sua história.

Como espero demonstrar, a vida de Seu Calixto, especialmente seu trilhar como Xuve (tronco), nos auxiliará a entrever a complexa dinâmica de expansão e retenção presente nos movimentos que marcam essa configuração social. Com o seu caminho, veremos não só como o ethos expansivo que conforma a liderança política contrasta-se e complementa-se com o imperativo de estar junto e viver na aldeia, mas também as múltiplas tonalidades presentes nos mundos em que Seu Calixto entra em contato, desbrava e expõe.


Palavras-chave


Terena; Biografia; Troncos familiares; Dinâmicas territoriais

Texto completo:

PDF

Referências


ACÇOLINI, Graziele. 2004. Protestantismo à moda terena. Tese (inédita) de doutorado em sociologia, Araraquara: UNESP - FCL.

__________. 2012. Xamanismo e protestantismo entre os Terena: Contemporaneidades. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v.6, n.1, p.24-47, jan./jun.

ALMEIDA, Rubem Ferreira Thomaz de. 2001. A Changa. In: _____. Do desenvolvimento comunitário à mobilização política: o projeto Kaiowá-Ñandeva como experiência antropológica. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria.

BITTENCOURT, Circe Maria e LADEIRA, Maria Elisa. 2000. A história do povo Terena. Brasília: MEC.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. 1968. Urbanização e tribalismo: a integração dos índios Terêna numa sociedade de classes. Rio de Janeiro: Zahar Editores.

_______________________. 1976. Do índio ao bugre: o processo de assimilação dos Terêna. 2ª ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

CUNHA, Manuela Carneiro da. 2009. “Cultura” e cultura: conhecimentos tradicionais e direitos intelectuais. Cultura com aspas e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify.

FERREIRA, Andrey Cordeiro. 2002. Mudança cultural e afirmação identitária: a antropologia, os Terena e os debates sobre aculturação. Dissertação (inédita) de mestrado em antropologia social, Rio de Janeiro: UFRJ/ MN – PPGAS.

__________. 2007. Tutela e resistência indígena: etnografia e história das relações de poder entre os Terena e o Estado brasileiro. Tese (inédita) de doutorado em antropologia social, Rio de Janeiro: UFRJ/ MN – PPGAS.

KOFES, Suely. 2004. “Os papéis de Aspern”: anotações para um debate. In:________ (Org.). Histórias de vida, biografias e trajetórias. Cadernos do IFCH; 31. Campinas: Unicamp, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas.

LÉVI-STRAUSS, Claude. 2009. As estruturas elementares do parentesco. Petrópolis: Vozes.

LOBO, Andréa de Souza. 2012. Vidas em movimento. Sobre mobilidade infantil e emigração em Cabo Verde. In.: DIAS, Juliana Braz e _______. África em movemento. Brasília: ABA Publicações.

MINTZ, Sidney W. 1960. Worker in the Cane: A Puerto Rican Life History. New Haven: Yale University Press.

_______. 1984. Encontrando Taso, me descobrindo. Dados: Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v.27, n.1, p.45-58.

MOURA, Noêmia dos Santos Pereira. 2009. O processo de terenização do cristianismo na Terra Indígena Taunay/Ipegue no século XX. Tese (inédita) de doutorado em ciências sociais, Campinas: UNICAMP – IFCH.

PEREIRA, Levi Marques. 2009. Os Terena de Buriti: formas organizacionais, territorialização e representação da identidade étnica. Dourados: UFGD.

PERINI DE ALMEIDA, Carolina. 2010. A agroindústria canavieira e os índios Terena: um estudo sobre a Changa nas usinas de álcool e açúcar do Mato Grosso do Sul. Relatório científico final apresentado à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. Número do processo: 09/50344-2. Campinas: FAPESP.

____________________. 2012. Seguindo caminhos Terena. Em busca de uma etnografia multidimensional. In.: LOBO, A.S. (org.). Entre Fluxos. Brasília: Editora UnB.

_____________________. 2013. Os troncos, suas raízes e sementes. Dinâmicas familiares, fluxos de pessoas e história em aldeias Terena. Dissertação (inédita) de mestrado em antropologia social, Brasília: UnB/ DAN – PPGAS.

ROHDE, Richard. 1990. Algumas notícias sobre a tribo indígena dos Terenos. Terra Indígena, Araraquara, n.55, p.20-39, abr./jun.

SCANONI GOMES, Luciana. 2012. Criação e destruição na arte cerâmica. Notas sobre agência e os seres que habitam o cosmo terena. In: XI ENCONTRO DE HISTÓRIA DE MATO GROSSO DO SUL. 01 a 05 de out. 2012. Campo Grande – MS. Anais... Campo Grande: UCDB.

VARGAS, Vera Lúcia Ferreira. 2005. Os índios Terena e a Guerra contra o Paraguai (1864-1870). In: ANPUH – XXIII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA. Anais... Londrina. Disponível em: < http://anpuh.org/anais/?p=14313>. Acesso em: nov. 2012.

Documentos

FUNAI. 2001. Relatório Circunstanciado de Identificação e Delimitação da Terra Indígena Cachoeirinha-MS. (Grupo Técnico Portaria Funai nº 1155/PRES/2000, Antropólogo-coordenador: Gilberto Azanha). Brasília: Fundação Nacional do Índio, setembro de 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cra.v18i1-2.49527

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista