Diálogos à flor da pele... Nota sobre as saudações na Amazônia

Philippe Erikson

Resumo


O tema das saudações não é inteiramente novo para a área amazônica. Entretanto, é preciso observar que são essencialmente as formas de saudação extraordinárias que têm retido a atenção dos americanistas. Sabemos muito mais sobre os sofisticados diálogos rituais praticados em encontros de caráter cerimonial que sobre as práticas cotidianas. Gostaria então de deter-me um pouco sobre a arte e a maneira de se saudar entre algumas etnias amazônicas (Matis e Chacobo, particularmente), o que não me impedirá de sucumbir ao costume de dizer algumas palavras sobre as saudações extraordinárias que anteriormente se praticavam no seio de uma entre elas, os Chacobo da Amazônia boliviana. A hipótese que proporei aqui é que a maior codificação das fórmulas de saudação chacobo, em comparação àquelas dos Matis, não é sem relação com suas diferenças no plano da organização social e política.


Palavras-chave


Saudações; diálogos cerimoniais; Chacobo; Matis

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v10i1.18577

Direitos autorais