A Família como Patrimônio: A Construção de Memórias entre Descendentes de Imigrantes Italianos

Maria Catarina Chitolina Zanini

Resumo



A colonização italiana na região central do Rio Grande do Sul teve início em finais do século XIX e de lá para
cá toda uma trajetória de construção de italianidade se processou. A revalorização da noção de pertencimento
étnico tem proporcionado uma nova gama de formas de sociabilidade, de troca e de inserção dos indivíduos
na sociedade local, mas não só. A família, nessa reconstrução das origens, é o elo que permite ao indivíduo
refazer a história coletiva de seu grupo, mas também refazer a si mesmo. O processo de construção das
memórias tem, dessa forma, desempenhado um papel fundamental nessa busca e foi por meio delas que
minha pesquisa se orientou.

Family as patrimony: the building of memories among descendents of Italian immigrants

Abstract


The Italian settlement in the central region of Rio Grande do Sul state has began in 1877 and from then on a
long trajectory of a construction of italianity has been processed. The revalorization of the notion of ethnic
pertinence has allowed, among other things, new forms of sociability, exchanges and of insertion of individuals
in the local society. In this reconstruction of origins, the family is the link that enables individuals to remake the
collective history of their group, but also to meet themselves in this process. The construction of the descendents´
memories has developed a fundamental role in the search for origins searching and it was through these
memories that this research was conducted.


Palavras-chave


família; identidade étnica italiana; memórias; family; Italian ethnic identity; memories

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v5i1.1635

Direitos autorais