Quem Não Quer De Novo Não Cuida: Processos de Herança entre Seringueiros de Rondônia

João Valentin Wawzyniak

Resumo



Este artigo aborda as mudanças nas formas de apropriação, gestão e transmissão desencadeadas com a criação,
em 1990, da Reserva Extrativista do rio Ouro Preto, município de Guajará-Mirim, Estado de Rondônia. Tal conjuntura
abriu às famílias nela residentes a possibilidade de transmissão da área florestal por elas ocupada e explorada.
Assim, a colocação de seringa passa a ser um patrimônio em construção através do trabalho e do zelo, passível de
ser transmitida de uma geração à outra mediante herança.

Whoever does not want again does not care: processes of inheritance among Rondônia rubber tappers

Abstract


This article deals with the changes in the forms of appropriation, management and inheritance originated with the
creation, in 1990, of the Extractive Reserves of the Ouro Preto river, in the municipality of Guajará-Mirim, State of
Rondônia. Such situation opens up, for the families that live there, the possibility of inheriting forest area which
have already been occupied and exploited by them. This area named colocação consequently becomes a
patrimony in construction through work and zeal, susceptible of being transmitted from one generation to another
by means of inheritance.


Palavras-chave


seringueiros; herança; reserva extrativista; populações tradicionais; rubber tappers; inheritance; Extractive Reserves; traditional populations

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v4i0.1599

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais