Em defesa do livro intelectuais e imprensa nos anos 90

Isabel Travancas

Resumo



Este trabalho tem como objetivo discutir as representações simbólicas do livro e da literatura na França e no Brasil
nos anos 90, a partir de duas perspectivas distintas. A primeira delas se baseia na leitura dos suplementos literários
de dois jornais franceses e de dois brasileiros Le Monde, Libération, Jornal do Brasil e Folha de S. Paulo. A outra
tem como fonte o discurso de trinta e seis entrevistados do mundo intelectual francês e brasileiro, no qual discutem
como se constróem estas representações em duas sociedade modernas complexas e letradas tão distintas
culturalmente. Também faz parte desta análise uma breve discussão sobre o campo intelectual nos dois países,
sua articulação com a imprensa e, mais especificamente, com os suplementos literários. Concluindo, é possível
afirmar que o grupo entrevistado e os cadernos analisados fazem uma defesa do livro e enfatizam a escrita e a
literatura como um valor, de maneira muito intensa e semelhantes nos dois países.


Abstract


The present work intends to discuss the symbolic representation of the book and of literature both in France and in
Brazil during the 90s from two distinct perspectives. The first one is based on the reading of literary supplements
from two major newspapers from each country. The second one is based on interviews with 36 intellectuals, both
French and Brazilian, in which they discuss the way this representation is built in two complex modern literary
societies with so many cultural differences. We also discuss briefly the intellectual field in both countries, articulating
it with the press, more specifically with literary supplements. Finally it is possible to say that the group we interviewed
and the supplements we analyzed in both countries are a defense of the book and emphasize - in a similarly
strong fashion - writing and literature as a value.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v3i0.1595

Direitos autorais