Etnografia do Estado: algumas questões metodológicas e éticas

Ciméa Bevilaqua

Resumo



O estudo etnográfico de processos e instituições que integram o universo do Estado suscita problemas
metodológicos e éticos específicos. Com base em exemplos etnográficos extraídos de pesquisa realizada junto a
instituições estatais de defesa do consumidor, este artigo retoma o clássico problema da identificação dos
informantes, que assume novas dimensões quando os sujeitos da pesquisa são autoridades governamentais,
políticos conhecidos e funcionários públicos graduados. O texto sugere que a dificuldade de resguardar
adequadamente a identidade dos informantes nesse contexto tem implicações que não se restringem ao
compromisso entre o pesquisador e os sujeitos de sua pesquisa, mas constituem desafios para o próprio
desenvolvimento empírico e teórico de uma antropologia do Estado.


Abstract


The ethnographic study of processes and institutions that are part of the states sphere raise specific methodological
and ethical problems. Focusing on data proceeding from a research concerned with consumers rights, this article
discusses the classical problem of the identification of informants, which acquire new dimensions when the subjects
involved are government authorities, well-known politicians or office holders. The article suggests that the difficulty
to conceal the identities of these subjects has implications that go beyond the necessary ethical commitment with
the informants, affecting indeed the theoretical and empirical development of an anthropology of the modern
state.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v3i0.1587

Direitos autorais