O “Gestionismo” e o “Politicismo” no Estado: o caso de dois estilos de governo na Comisión Municipal de la Vivienda da cidade de Buenos Aires

Salvador Schavelzon

Resumo


Com base na etnografia da implementação de uma política habitacional de autogestão na Comisión Municipal de la Vivienda do Governo da Cidade de Buenos Aires, este trabalho procura refletir sobre modos de racionalidade e pensamento próprios de espaços da administração estatal. Parece possível abordá-los a partir do par de noções nativas gestão e política, assim como do jogo de articulações que seu uso possibilita, contituindo-os em termos de uma verdadeira linguagem necessária para se fazer política nesses espaços. Busca-se neste artigo mapear as distintas articulações e entender os movimentos desse par a partir de três pontos de observação: a discussão entre duas autoridades de governo em um debate político; a definição e percepção de dois estilos diferentes de governo que podem ser identificados com o que se propõe chamar de “gestionismo” e “politicismo”; e o modo de classificação das pessoas no órgão público estudado.


Palavras-chave


antropologia do Estado; antropologia política; governo local; gestão e política

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v8i2.11162

Direitos autorais