Análise qualitativa e quantitativa de agregados de solo sob filme plástico associado à fertilização organomineral em área cafeeira

Lucas Andrade Souza, Érika Andressa Silva, Geraldo César Oliveira, Samara Martins Barbosa, Bruno Montoani Silva

Resumo


A cobertura plástica do solo associada ao uso de fertilizantes organominerais exercem influência sobre a agregação do solo e os efeitos desta prática sobre a estabilidade de agregados do solo pode ser estudada por diferentes metodologias. O objetivo deste trabalho foi avaliar por métodos qualitativos e quantitativos os agregados de um Argissolo submetido a diferentes práticas de fertilização, com e sem cobertura do solo após o primeiro ano de implantação de cafeeiros. Foram estudadas as seguintes práticas: fertilização organomineral + mulching (OM), fertilização química + mulching (QM), fertilização organomineral (O) e fertilização química (Q), tendo como referência o ambiente nativo. Foram coletadas amostras com estrutura preservada na profundidade de 0,00 - 0,05 m na linha do cafeeiro, em área experimental localizada no município de Bom Sucesso, MG. Nos estudos qualitativos (morfometria), os agregados, da classe de 4,76 - 8 mm, foram analisados por meio de imagens obtidas por um scanner. Pelo software QUANTPORO foram calculadas as variáveis de forma dos agregados: área, perímetro, aspecto, arredondamento, diâmetro de Feret e compacidade. Em seguida, estes agregados foram submetidos aos estudos quantitativos, pelos métodos de tamisamento úmido e sonificação, sendo a agregação mensurada pelos índices diâmetro médio geométrico (DMG) e b/a. As práticas em estudo não promoveram modificações na morfometria dos agregados, mas a análise quantitativa, baseada em índice obtido por sonificação (b/a), demonstrou que a cobertura plástica da superfície do solo associada à fertilização com organomineral (OM) promoveu aumento na estabilidade dos agregados, quando comparado aos tratamentos QM, Q e O. 




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rsa.v19i2.52826