Open Journal Systems

DINÂMICA DE CRESCIMENTO DA AVEIA PRETA SOB DIFERENTES DOSES DE NITROGÊNIO E AJUSTE DE MODELO MATEMÁTICO DE RENDIMENTO POTENCIAL EM FUNÇÃO DE PARÂMETROS CLIMÁTICOS

Sérgio José Alves

Resumo


Visando estudar a dinâmica de crescimento da aveia preta (Avena strigosa Lam.), cultivar IAPAR 61, sob diferentes níveis de nitrogênio (0; 75; 150; 225 e 300 kg/ha) e ajustar um modelo matemático de rendimento potencial de forragem baseado no acúmulo térmico e na radiação solar incidente, foi conduzido um trabalho na estação experimental da Universidade Federal do Paraná - UFPR, múnicípio de Pinhais-PR. A semeadura foi realizada em 19 de abril de 1999 com 60 kg de sementes/ha, em linhas espaçadas de 17 cm. O experimento foi irrigado e mantido livre de invasoras e insetos. A adubação nitrogenada foi efetuada com uréia e parcelada em três aplicações (24, 54 e 80 dias após a emergência das plantas). A produção de forragem foi avaliada em quatro cortes, sendo três efetuados durante a fase vegetativae um na fase reprodutiva das plantas. Foram feitas avaliações semanais de peso da matéria seca da parte aérea (MS), teor de nitrogênio na biomassa aérea (% N), relação lâmina foliar/caule (LF:C) e índice da área foliar (IAF) e duas vezes por semana foram realizadas as medições de folhas e a contagem de perfilhos em plantas marcadas. O balanço de radiação foi realizado com base em dados coletados por um quantômetro e por sensores instalados nos diferentes tratamentos e de forma a avaliar a radiação incidente, refletida e transmitida. Houve uma significativa resposta da cultura a doses de nitrogênio e uma interação significativa destas com as épocas de corte. Observou-se menores produtividades na ausência de nitrogênio em todas as épocas avaliadas, com uma produção total de 3422,6 kg de MS/ha. A dose de 300 kg de N/ha possibilitou uma produção total de 9953,6 de MS/ha e destacou-se das demais durante a fase reprodutiva da cultura, enquanto que na fase vegetativa a máxima produtividade foi obtida com 225 kg de N/ha (7268,7 kg MS/ha). O nitrogênio modificou todas as características morfogênicas avaliadas: índice de área foliar (IAF), perfilhamento, relação lâmica foliar: colmo, comprimento foliar, taxas de elongação foliar e de senescência. A evolução do IAF nos dois primeiros acúmulos deveu-se tanto ao incremento do perfilhamento quanto do comprimento foliar, porém no terceiro corte a evolução deveu-se quase que exclusivamente à expansão foliar. O filocrono da aveia preta cultivar IAPAR61 foi de aproximadamente 80 GD no afilho principal, independentemente da dose de nitrogênio utilizada. Os submodelos para estimativa da evolução do IAF baseados no acúmulo de graus-dia (GD), e da eficiência de absorção (Ea) baseado no coeficiente de extinção (K) e no sub-modelo de IAF, são adequados para a estimação da radiação fotossintéticamento absorvida (PARa) e para análise de crescimento da biomassa aérea baseada no uso da radiação, mas são diferentes para a fase de estabelecimento e para os rebrotes. O crescimento potencial da aveia preta IAPAR 61, em condições não limitantes, pode ser estimado por meio de um modelo simples com duas variáveis climáticas: radiação global incidente acumulada (Rs) e graus-dia acumulados (GD), de fácil obtenção em estações meteorológicas.


Palavras-chave


leaf area index (LAI); leaf bladeIculm ratio; tillering; leaf length; nitrogen content; philocron; leaf elongation rate; leaf senescence rate.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rsa.v4i1.1080