CRISE POLÍTICA E REVOLUÇÃO: UM COMENTÁRIO TEÓRICO A PROPÓSITO DO LIVRO 1789: O SURGIMENTO DA REVOLUÇÃO FRANCESA DE GEORGES LEFÈBVRE

Armando Boito Jr.

Resumo


Este trabalho pretende mostrar que o texto de Lefèbvre encontra-se na tradição, existente também em vários teóricos marxistas (Marx, Lenin, Mao Tsetung), que entende a crise política revolucionária não a partir da oposição simplificadora entre classe dominante e classe dominada, mas sim a partir da multiplicidade de contradições presentes num momento histórico desse tipo. A análise que Lefèbvre faz da Revolução Francesa, no seu clássico 1789: O surgimento da Revolução Francesa, realiza, provavelmente de forma inconsciente, a noção leninista de "crise revolucionária", segundo a qual uma situação revolucionária não ocorre sem que apareçam, concomitantemente, três condições: 1) a impossibilidade da classe dominante perpetuar a dominação devido a uma crise na “cúpula”; 2) agravamento incomum da miséria e 3) ascensão da atividade política independente por parte das massas.


Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)