GUERRA e GUERRA REVOLUCIONÁRIA

Héctor Luis Saint-Pierre

Resumo


Neste artigo pretendemos mostrar que, do ponto de vista da força, pode-se definir a guerra revolucionária como a procura da desestabilização das relações de força para lograr um novo equilíbrio que permita instaurar uma sociedade sem classes. Também analisamos aqui as relações existentes entre o sistema de relações de força internacional e interno ao Estado nacional, tentando mostrar suas influências recíprocas e como o modelo de “equilíbrio de forças”, que aqui apresentamos, pode funcionar como um "fractal” que facilitaria o acesso analítico a ambos os campos de força (o interno e o internacional). Depois de analisar os conceitos de guerra internacional e guerra civil, procuramos enquadrar teoricamente o tema da guerra revolucionária como o cruzamento ou a intersecção entre a teoria da guerra e a teoria da luta de classes. Acreditamos que esse entroncamento teórico já foi vislumbrado por Lênin. Nós apenas tentamos, a partir dele, explicitá-lo à luz da teoria da estratégia, acreditando que uma teoria da guerra revolucionária só pode se fundar com solidez nesse cruzamento de teorias.


Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)