A INFLUÊNCIA DE ÁREAS VERDES NO COMPORTAMENTO HIGROTÉRMICO E NA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DO CITADINO EM DUAS UNIDADES AMOSTRAIS NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO, RONDÔNIA, BRASIL

Graziela Tosini Tejas, Marília Gabriela F. de Azevedo, Marília Locatelli

Resumo


O presente trabalho analisou a influência de áreas verdes no comportamento higrotérmico e na percepção ambiental em duas unidades amostrais, levando-se em consideração a presença e ausência de vegetação arbórea, na cidade de Porto Velho, Rondônia, Amazônia Meridional, Brasil. A análise foi realizada a partir de uma investigação experimental onde os dados, de temperatura e umidade relativa do ar, foram mensurados através de termohigrômetros, nos horários estabelecidos pela Organização Mundial Meteorológica (OMM). Os dados de percepção ambiental foram obtidos através de questionários semi-estruturados no momento do monitoramento climático. Os resultados demonstraram que na área arborizada os valores higrotérmicos foram inferiores ao ponto em que há ausência de vegetação (área construída) alcançando uma diferença de 3°C a 5°C. Quanto à avaliação da percepção ambiental verificou-se que os entrevistados sentem-se mais confortável (73%) no ponto com presença de vegetação e apontaram que a arborização na urbe propicia (57%) a redução do calor. 

Palavras-chave


Cobertura arbórea urbana; Conforto climático; Qualidade ambiental

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v6i4.66484

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.