PERCEPÇÕES E ATITUDES DE RESIDENTES EM RELAÇÃO ÀS ÁRVORES URBANAS DE PALMAS-TO

Marcleiton Ribeiro Morais, Adriano Firmino V. de Araújo, Erika Cristine Kneib

Resumo


A criação de Palmas/TO foi marcada por um discurso modernista que buscava unir no mesmo lugar condições para seus residentes habitar, trabalhar e recrear-se tudo isso em consonância com os paradigmas ecológicos da época. Todavia, a jovem cidade tem sofrido com a subprovisão dos serviços da vegetação arbórea. Assim, a questão básica desse estudo é avaliar a percepção dos moradores de Palmas em relação a sua vegetação arbórea, identificando atitudes e conhecimentos no tocante as suas árvores urbanas. Foram entrevistados 410 indivíduos a partir de uma amostra probabilística por conglomerado dada em múltiplos estágios. Envolvendo questões de ordem socioeconômicas, questões a respeito do meio ambiente e do ativo analisado. Os resultados comprovam uma expectativa a priori de que a percepção e ações de seus residentes conferem certa divergência entre o panorama atual da cobertura arbórea urbana e o discurso ecologicamente correto que por muito tempo foi difundido no município. No que tange às atitudes, a significativa proporção de indivíduos integrativos revela em escala de grandeza à escolha social quanto à necessidade de disposição de árvores no recinto da cidade.

Palavras-chave


Conduta; Cobertura arbórea urbana; Planejamento urbano

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v6i3.66475

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.