RIQUEZA E DENSIDADE DE ÁRVORES, ARVORETAS E PALMEIRAS EM PARQUES URBANOS DE RECIFE, PERNAMBUCO, BRASIL

Leonardo Rodrigues da Silva, Isabelle Maria Jacqueline Meunier, Ângela Maria de Miranda Freitas

Resumo


Neste trabalho foram reconhecidas 87 morfoespécies de árvores, arvoretas e palmeiras nos sete parques urbanos de Recife, com a observação de 2808 exemplares. As espécies de árvores e arvoretas mais abundantes foram Clitoria fairchildiana, Mangifera indica, Tecoma stans, Terminalia catappa e Tabebuia impetiginosa. Entre as palmeiras destacaram-se Dypsis lutescens, Roystonea oleracea, Cocos nucifera, Acrocomia intumescens e Elaeis guineensis. A maior abundância foi verificada no Parque Treze de Maio, com 981 exemplares e 58 espécies. O Parque da Jaqueira apresentou 773 indivíduos e 68 espécies, sendo o parque com maior riqueza de espécies. O parque menos arborizado e com menor riqueza florística foi o Robert Kennedy, com 122 indivíduos e 18 espécies, e os que apresentaram piores condições de densidade foram Arraial Novo do Bom Jesus e Santana (41,7 e 56,7 indivíduos/ha, respectivamente). O potencial paisagístico da flora local foi mal aproveitado nos parques urbanos de Recife, privilegiando-se o plantio de espécies exóticas ou nativas de outros biomas brasileiros. As densidades de árvores, arvoretas e palmeiras foram consideradas baixas em quatro dos sete parques, que precisam receber novos plantios de espécies arbóreas, preferencialmente nativas, contribuindo para amenização climática e conservação e valorização de flora nativa.

Palavras-chave


Árvores urbanas; arborização de parques.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v2i4.66336

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.