Open Journal Systems

Panorama macroeconômico da economia global

Luciano Luiz Manarin D´Agostini

Resumo


O presente artigo mostra o panorama do cenário macroeconômico global e alguns indícios de como será, perante toda incerteza, o segundo semestre. Apresentamos os dados da taxa de desemprego, das taxas de juros, das paridades de moedas em relação ao dólar, da inflação nas economias, da variação de orçamentos dos governos e da variação das bolsas de valores ao redor do mundo em diversos países. Apresentamos também, na Seção 8, uma opinião própria da nota de crédito positiva concedida ao Brasil e a perspectiva negativa para a nota de crédito dos Estados Unidos. Diante das exposições supracitadas emergem algumas indicações: (i) o dólar se depreciou por mais um semestre, perante a maioria das moedas; (ii) as taxas de desemprego nos países europeus periféricos estão muito altas e com perspectivas nada animadoras; (iii) no geral, os países que adotam o regime de Metas de Inflação estão no ciclo de elevação das suas taxas de juros e permanecem, para o segundo semestre, com essas mesmas perspectivas porque a inflação está, no geral, acima da meta e em vários países acima da banda superior e do limite de tolerância; (iv) no geral, os países cortaram seus orçamentos (o Brasil vai contra esta tendência) para tentar realinhar suas economias; (v) no geral, os ativos contidos nas bolsas de valores perderam valor, fecharam os primeiros meses com taxa de crescimento negativa e não têm grandes perspectivas para reversão do quadro de rentabilidades negativas; (vi) as taxas de juros nominais do Brasil, por mais um período, apresentam-se entre as taxas de juros mais altas mundo.  

Palavras-chave


Conjuntura econômica; Inflação; Taxas de juros; Bolsa de Valores.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ret.v7i2.26821