OS EVANGÉLICOS E A POLÍTICA: CONDICIONANTES E LÓGICAS DO ENGAJAMENTO POLÍTICO DE LIDERANÇAS PENTECOSTAIS DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM IMPERATRIZ-MA

Bezaliel Alves Oliveira Junior, Wheriston Silva Neris

Resumo


O estudo aborda a questão das intersecções entre o universo evangélico e a política em contexto amazônico recente, com foco sobre os padrões de seleção e as lógicas coletivas e individuais de engajamento político de lideranças da Igreja Evangélica Assembleia de Deus (IEADI) na cidade de Imperatriz, Maranhão. Resultante de uma pesquisa de mestrado concluída recentemente, no presente texto exploramos tanto os mecanismos de filtragem, seleção e preparação dos agentes destinados a exercer essas funções de mediação religiosa e política, quanto os perfis e as percepções subjetivas que essas mesmas lideranças têm sobre si, sobre a instituição e o lugar que deveriam ocupar no espaço público local/nacional. Assim, se as conclusões apontam para uma simetria de transformações dentro das unidades que compõem esse campo institucional, a observação das vias de engajamento político desses agentes no contexto amazônico é concebida como um laboratório para compreensão do universo em pauta de uma perspectiva mais refinada e menos substancializada, dando espaço para apreender algumas das ambiguidades e peculiaridades desse modo de participação política.


Palavras-chave


Política. Itinerário. Religião. Assembleia de Deus.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Adroaldo José da Silva. Pelo Senhor Marchamos: os evangélicos e a ditadura militar no Brasil (1964-1985). Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2016.

ALMEIDA, Ronaldo. Evangélicos à direita. Horizontes Antropológicos (UFRGS. IMPRESSO), v. 26, p. 419-436, 2020.

ALVES, Sebastião Cleyton. História da Assembleia de Deus em Imperatriz. Imperatriz: IEADI, 2002.

AYRES, Marcelo Camurça Lima. Religião, política e espaço público no Brasil: perspectiva histórico/sociológica e a conjuntura das eleições presidenciais de 2018. Estudos de Sociologia, Recife, v. 2, n. 25, 2019.

_______. Um Poder Evangélico no Estado Brasileiro? Mobilização Eleitoral, Atuação Parlamentar e Presença no Governo Bolsonaro. Nupem, Campos Mourão, v.12, n.25, 2020.

BAPTISTA, Saulo. Pentecostais e neopentecostais na política brasileira: um estudo sobre cultura política, Estado e atores coletivos religiosos no Brasil. São Paulo: Annablume; São Bernardo dos Campos: Instituto Metodista Izabela Hendrix, 2009.

_______. Cultura política brasileira, práticas pentecostais e neopentecostais: a presença da Assembleia de Deus e da Igreja Universal do Reino de Deus no congresso nacional (1999-2006). Tese (Doutorado). Universidade Metodista de São Paulo, 2007.

BEZES, Philippe; LE LIDEC, Patrick. Ordre institutionnel et genèse des réformes. Sociologie de l'institution, Editions Belin, pp.55 - 73, 2011

BURITY, Joanildo. Entre o reino de Deus e a autoridade civil: pentecostais, cultura e política. In: Idem. Identidade política no campo religioso. Recife: Editora da UFPE, 1997.

_________. Fé na Revolução: Protestantismo e o discurso revolucionário brasileiro (1961-1964). Novos Diálogos: Rio de Janeiro, 2011.

________. A onda conservadora na política brasileira traz o fundamentalismo ao poder? In: ALMEIDA, Ronaldo; TONIOL, Rodrigo (orgs.). Conservadorismos, fascismos e fundamentalismos: análises conjunturais. Campinas: Unicamp, 2018. p.15-66.

________. ¿Ola conservadora y surgimiento de la nueva derecha cristiana brasileña? la coyuntura postimpeachment en Brasil. Ciencias Sociales y Religión/Ciências Sociais e Religião, Campinas, v.22, e020015, 2020.

Burity, Joanildo. Sociologia da religião no Brasil: artesania, fronteiras e horizontes. REVISTA BRASILEIRA DE INFORMAÇÃO BIBLIOGRÁFICA EM CIÊNCIAS SOCIAIS - BIB, v. 25, p. 1-25, 2020.

CAMURÇA, M. A. Da “Boa” e da “Má vontade” para com a Religião nos Cientistas Sociais da Religião brasileiros. Comentários a propósito do balanço realizado por Antônio Flávio Pierucci sobre a produção acadêmica da Sociologia da Religião no Brasil, nos últimos 25 anos. Religião & Sociedade, v. 21, n. 1, p. 67-86, 2001.

CONDE, Emílio. História das Assembleias de Deus. Belém: CPAD, 1960.

COSTA, L. O. ; PINTO, M. C. O. B. S. Os primeiros passos do protestantismo na Amazônia. ESTUDOS DE RELIGIAO (IMS) v. 312, p. 101-125, 2017.

COSTA, Moab César Carvalho. Mudança de ethos do pentecostalismo clássico para o neopentecostalismo. Estudo de caso: a Assembleia de Deus em Imperatriz-MA. (Mestrado em Ciência da Religião). Pontifícia Universidade Católica de Goiás, 2011.

________. O aggiornamento do pentecostalismo: as Assembleias de Deus no Brasil e na cidade de Imperatriz-MA (1980-2010). (Doutorando em História) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, 2017.

________. As estratégias de inserção das Igrejas Assembleias de Deus no Campo Político e a Ressignificação dos valores do Pentecostalismo Clássico (1985 – 1986). Recriar: São Paulo, 2018, p.187 – 203.

FRANKLIN, Adalberto. LIMA, Valdizar. Repressão e resistência em Imperatriz. Imperatriz: Ética, 2016.

FRESTON, Paul. Protestante e política no Brasil: da Constituinte ao impeachment. Tese (Doutorado em Sociologia). Unicamp,1993.

________. Entre o pentecostalismo e o declínio do denominacionalismo: o futuro das igrejas histórias no Brasil. In: CAMPOS, Leonildo Silveira; GUTIÉRREZ, benjamin F. (Org.) Na força do Espírito: os pentecostais na América Latina: um desafio às igrejas históricas. São Paulo: AIPRAL/Pendão Real, 1996.

GRILL, I. G. ; SEIDL, Ernesto . A politização do espaço social. Revista Política e Sociedade, v. 16, p. 7-17, 2017.

GIUMBELLI, Emerson. Religião, Estado, modernidade: notas a propósito de fatos provisórios. Estudos Avançados, v. 18, n. 52, p.47-52, 2004.

HERMET, Guy. Les fonctions politiques des organisations religieuses dans les régimes à pluralisme limité. Revue française de science politique, 23e année, n°3, 1973. pp. 439-472.

LAGROYE, Jacques; OFFERLÉ, Michel. (Orgs.) Sociologie de l’institution. Paris: Belin, 2011, 399 p.

MACHADO, Maria das Dores Campos; Burity, Joanildo A. . A Ascensão Política dos Pentecostais no Brasil na Avaliação de Líderes Religiosos. Dados (Rio de Janeiro. Impresso), v. 57, p. 601-631, 2014.

MARIANO, Ricardo. Neo Pentecostais: sociologia do Novo Pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 2005.

NERIS, Wheriston Silva. Igreja e missão: religiosos e ação política no Brasil. Tese (Doutorado em Sociologia). Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2014.

NERIS, Wheriston Silva; SEIDL, Ernesto. Religiões e Religiosidade no Brasil: História, Historiografia e Ensino/ Ítalo Domingos Santirocchi, Márcia Milena Galdez Ferreira, Wheriston Silva Neris, (Orgs.). São Luís: UEMA,2018.

OLIVEIRA JÚNIOR, Bezaliel Alves. RELIGIÃO E POLÍTICA: As estratégias de Inserção e Reinserção das Assembleias de Deus na Política Brasileira. (1986 - 2018). Dissertação (Mestrado em Sociologia), Imperatriz, 2021.

OLIVEIRA, Liliane; PINTO, M. C. O. B. S. Estudo das relações sociopolíticas e religiosas em comunidades rurais na Amazônia. REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA DAS RELIGIÕES, v. 11, p. 51-70, 2018.

OMAR, D. ; BIANCHEZZI, C. ; TENORIO, A. ; REIS, MARCOS VINICIUS DE FREITAS . Religiões, Fronteiras e Identidades na Amazônia. 1. ed. Manaus: EDUEA, 2020. v. 1. 184p.

RODRIGUES, Donizete Aparecido. DIVERSIDADE RELIGIOSA E PENTECOSTALISMO NA AMAZÔNIA:. Pax Domini, v. 3, p. 03-11, 2018.

PANTOJA, V. M. L., & PEREIRA, J. M. (2017). GRANDES PROJETOS E POPULAÇÕES TRADICIONAIS NA AMAZÔNIA: a Suzano Papel e Celulose no Maranhão. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA & TRABALHO, 1(45).

PIERUCCI, Antônio Flávio. Representantes de Deus em Brasília: a bancada evangélica na Constituinte. Ciências Sociais Hoje, São Paulo, p.104-132, 1989.

PIERUCCI, A. F. Sociologia da religião: Área impuramente acadêmica. In: PIERUCCI, A. F. et al. O que ler na ciência social brasileira (1970-1995): Sociologia. São Paulo/Brasília: Anpocs/Sumaré/Capes, 2002. v. 2. p. 237-285.

PRANDI, Reginaldo; SANTOS, Renan William dos. Quem tem medo da bancada evangélica? Posições sobre moralidade e política no eleitorado brasileiro, no Congresso Nacional e na Frente Parlamentar Evangélica. Tempo Social [online]. 2017, v. 29, n. 2

REIS, M. V. F.; JUNQUEIRA, S. Apresentação. REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA DAS RELIGIÕES, v. 1, p. 5-6, 2019.

SEIDL, Ernesto; GRILL, Igor Gastal (org.). As Ciências Sociais e os Espaços da Política no Brasil. 1 ed. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2013

SENHORAS, E. M., SANTOS, A. F. P. dos, & CRUZ, A. R. A. de S. Expansão do protestantismo no Brasil e suas configurações na Amazônia Legal. Ciencias Sociales Y Religión/Ciências Sociais E Religião, 18(25), 2016, 136–149.

SOUSA, Bertone de Oliveira. Uma perspectiva histórica sobre construções de identidades religiosas: a Assembleia de Deus em Imperatriz-MA (1986-2009). Dissertação (Mestrado em História) – UFG, Goiânia, 2010.

______. A Assembleia de Deus e o Movimento Pentecostal na Cidade de Imperatriz (1952 – 2002): História, Memória e Identidade Cultural. Sacrilegens, Juiz de Fora, v.5, n.1, 2008.

_______. A Expansão da Assembleia de Deus em Imperatriz-MA: História e Constituição Identitária. UFG. Goiás, 2009.

TRABUCO, Zózimo. "À direita de Deus, à esquerda do povo": Protestantismos, esquerdas e minorias (1974-1994). 1ª. ed. Salvador: Sagga, 2016. 620p




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v11i1.85888