“ELES SÃO FILHOS DA MÃE, NÓS SOMOS DO PAI”: APONTAMENTOS SOBRE O JOGO IDENTITÁRIO ENTRE ASSEMBLEIANOS DE DUAS CONVENÇÕES NO ESTADO DO PARÁ

Alef Monteiro

Resumo


No decorrer do tempo, as muitas cisões (“rachas”) entre grupos de assembleianos brasileiros resultaram em variadas convenções. Atualmente, no estado do Pará, Amazônia brasileira, as duas maiores são a COMIEADEPA e a CIMADB, esta última encabeçada pela Igreja de Belém do Pará. Entre os membros das igrejas que integram essas convenções existe um jogo de identidades contrastivas que expressa uma rivalidade política. Sobre essa complexa situação, este artigo tem por objetivo fazer uma descrição do processo de construção das diferenças identitárias entre assembleianos dessas duas convenções. Para isso, além de recorrer à pesquisa bibliográfica sobre a cisão desses grupos convencionais, foram realizadas pesquisas de campos compostas por observação participante e realização de entrevistas junto a igrejas pertencentes a essas convenções em duas cidades diferentes, a saber, Belém do Pará – sede da CIMADB, e Castanhal – sede de uma das principais igrejas da COMIEADEPA. Conclui-se que, na situação em questão, os significados que substanciam as identidades foram construídos nas relações e servem como uma das justificativas sem as quais o poder não se sustentaria. Porém, na prática, entre os membros desses grupos, a diferença de identidades tem mais a ver com a necessidade de diferenciação política em si do que com diferentes modos de vida assembleiana.


Palavras-chave


Assembleia de Deus. Identidade. Diferença. Convenções de Igrejas. Amazônia

Texto completo:

PDF

Referências


ASAD, Talal. A construção da religião como uma categoria antropológica. Cadernos de Campo, São Paulo, v. 19, n. 19, p. 263-284, 2010.

BAPTISTA, Saulo de Tarso Cerqueira. Sucessão na Assembleia de Deus em Belém do Pará (1997): uma análise dos atos retóricos. Terceira Margem Amazônica, Manaus, v. 1, n. 2, p. 13-30, jul./dez. 2012.

BÍBLIA SAGRADA e Harpa Cristã. Tradução Revista e Corrigida de João Ferreira de Almeida. Barueri: SBB; Rio de Janeiro: CPAD, 2003.

BORGES, Jonas. 1997. Firmino Gouveia, um empresário de Deus: sua vida e sua obra. Belém: Semin, 1997.

CANETTI, Elias. Massa e poder. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

CORREA, Marina. Igrejas assembleias de Deus no Brasil: pastores-presidentes e os “laços fraternos”? Caminhos, Goiânia, v. 12, n. 1, p. 240-258, jan./jun. 2014.

DANIEL, Silas. História da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil. Rio de Janeiro, CPAD, 2004.

DOUGLAS, Mary. Pureza e Perigo: ensaio sobre as noções de Poluição e Tabu. Lisboa: Edições 70, 1966.

FAJARDO, Maxwell Pinheiro. Assembleia de Deus no Brasil: uma igreja que cresce enquanto se fragmenta. Azusa: revista de estudos pentecostais, Joinville, v. 5, n. 2, p. 161-186, jul./dez. 2014.

FIGUEIREDO, Aldrin Moura de. A cidade dos encantados: pajelanças, feitiçarias e religiões afro-brasileiras na Amazônia, 1870-1950. Belém: EDUFPA, 2008.

GALVÃO, Eduardo. Santos e visagens: um estudo da vida religiosa de Itá, Amazonas. São Paulo: Companhia Editora Nacional 1955.

GANDRA, Valdinei Ramos. WESTPHAL, Euler Renato. Assembleia de Deus: Questões identitárias na criação do Centro de Estudos do Movimento Pentecostal – CEMP. Estudos Teológicos, São Leopoldo, v. 53, n. 2, p. 268-281, jul./dez. 2013.

GILBERTO, Antônio et al. Teologia sistemática pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2018.

HORTON, Stanley (Org.). Teologia sistemática: uma perspectiva pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996.

MACGEE, Gary B. Panorama histórico. In: HORTON, Stanley (Org.). Teologia sistemática: uma perspectiva pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p. 11-42.

MAMDANI, Mahmood. When Victims Become Killers: Colonialism, Nativism, and the Genocide in Rwanda. Princeton: Princeton University Press, 2001.

OLIVEIRA, Davi Mesquiati de. A leitura bíblica dos pentecostais e a noção de performance. REVER: Revista de estudos da religião, São Paulo, v. 17, n. 2, p.119-140, mai./ago. 2017.

OLIVEIRA, Davi Mesquiati de; TERRA, Kenner R. C. Experiência e hermenêutica pentecostal: reflexões e propostas para a construção de uma identidade teológica. Rio de Janeiro: CPAD, 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v11i1.85733