TERRITORIALIDADES DO CAMPO RELIGIOSO PENTECOSTAL: O CASO DO RESIDENCIAL VISTA BELA / LONDRINA (PR)

Claudia Neves da Silva, Victor Hugo Oliveira de Paula

Resumo


Como resposta a emergência da discussão da religiosidade pentecostal no Brasil contemporâneo, o trabalho que se segue nasce como uma tentativa de contribuir para a formulação de uma resposta a este fato colocado a partir da solução da seguinte questão: Quais os instrumentos são utilizados para produção do território religioso no espaço geográfico de uma realidade local? Para tal, foi desenvolvido um procedimento metodológico que partiu de uma porção espacial delimitável que reflete a desigualdade socioespacial brasileira em certa medida como o estudo de caso ao qual esse trabalho se propõe a discutir: o Residencial Vista Bela, no município de Londrina (PR).  Traçando uma linha de partida no início do século XX, é possível atestar que o surgimento do pentecostalismo atendeu uma condição histórica de exclusão social. O residencial localiza-se na porção noroeste do perímetro urbano de Londrina, no bairro Perobinha. Trata-se de uma região pouquíssimo ocupada, geralmente por chácaras e alguns lotes vazios destinados a expansão industrial do município. Além disso, a distância da mancha urbana gerou inúmeros problemas para a região como a lotação de escolas e unidades básicas de saúde que começaram a receber ônibus com os novos habitantes como medida mitigatória do governo municipal na época da entrega das primeiras moradias. Com um importante papel socializador, educativo e muitas vezes mitigador de problemas sociais, econômicos e políticos que envolvem a convivência local, a instituição religiosa imprime estas marcas em sua forma de culto, o que foi identificado ao longo da pesquisa que se segue.


Palavras-chave


Pentecostalismo; Território; Londrina; Religião

Texto completo:

PDF

Referências


BEZERRA, Heloísa G.. Planejamento Urbano e programas habitacionais: O caso do Residencial Vista Bela no município de Londrina-PR. In: Geographia Opportuno Tempore, Londrina, v.1, número especial, p. 523-536, jul./dez. 2014.

BOURDIEU, Pierre. Gênese e estrutura do campo religioso. In: BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2011.

CORRÊA, Roberto L.. O Espaço Urbano. Ática: São Paulo, 1989.

CORTEN, André. Os pobres e o Espírito Santo: O pentecostalismo no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1996.

ELIADE, Mircea. O Sagrado e o Profano. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

GIL FILHO, Sylvio F. Espaço de representação e territorialidade do sagrado: Notas para uma teoria do fato religioso. In: Ra’ega, Curitiba, v. 3, n. 3, p. 91-120, 1999.

GUIDOTTI, Vitor H. R.. Campo religioso em Pierre Bourdie, u: Explorando a dinâmica das instituições burocráticas. In: Intraciência, Guarujá, v. 10, n. 1, dez. 2015.

HAESBAERT, Rogério. Identidades Territoriais. In: ROSENDAHL, Zeny.; CORRÊA, Roberto. L. (Orgs). Religião, Identidade e Território. Rio de Janeiro: EDUERG, 2001, p. 169-190.

______. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

MENDONÇA, Antonio G. O celeste porvir: a inserção do protestantismo no Brasil. 3 ed. São Paulo: EDUSP, 2008.

PAULA, Victor H. O. de; MARQUES, Ana C. dos S.. A proliferação dos espaços religiosos pentecostais no Residencial Vista Bela, Londrina (PR): Determinações e implicações. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PRÁTICAS RELIGIOSAS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO, 4, 2014, Londrina. Anais... Londrina: UEL, 2016.

PEREIRA, Clevisson J.; GIL FILHO, Sylvio F.. Geografia da Religião, Espaço Sagrado e Pentecostalismo: Análise de uma espacialidade pentecostal. Relegens Thréskeia, Curitiba, v. 1, n. 2, p. 63-78. 2012.

RAFFESTIN, Claude. Por uma geografia do poder. Rio de Janeiro: Ática, 1993.

ROSENDAHL, Zeny. Representações do Sagrado: Ratificando o domínio da emoção e do sentimento do ser-no-mundo. In: COLÓQUIO NACIONAL DO NÚCLEO DE ESTUDOS EM ESPAÇO E REPRESENTAÇÕES, 1., 2006, Curitiba. Anais... Curitiba: Neer Geografia/UFPR, 2007. v. 1, p. 1 - 6.

SANTOS, Milton. O espaço do cidadão. São Paulo: Nobel, 1987.

SMITH, Neil. The new urban frontier: gentrification and the revanchist city. Londres: Routledge, 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v10i1.79070