DETALHES DA ARGUMENTAÇÃO NO DISCURSO RELIGIOSO MIDIÁTICO: ANÁLISE DA PREGAÇÃO “O SEGREDO DO SUCESSO NO CASAMENTO: ATENTANDO PARA OS DETALHES”

Leticia Jovelina Storto, Vanessa Hagemeyer Burgo, Eduardo Francisco Ferreira

Resumo


Com este artigo, objetivamos identificar as marcas linguístico-discursivas da argumentação deixadas na pregação “O segredo do sucesso no casamento: atentando para os detalhes”. Para tanto, recorremos às teorias da Semântica Argumentativa e da Linguística Textual. Para isso, realizamos uma pesquisa bibliográfica e uma pesquisa documental cujos dados receberam análise descritiva. Como resultados, observamos que, entre os recursos argumentativos utilizados pelo locutor, estão a intertextualidade com a canção “Detalhes”, de Erasmo Carlos e Roberto Carlos (1971), e com o discurso bíblico, a repetição, a interrogação e o uso de marcadores conversacionais e de operadores argumentativos. Além desses, também verificamos a presença da ironia, a qual levou ao riso dos fiéis durante a pregação. Todos esses tiveram como consequência a construção de um estilo próprio, carregado de bom humor.

Palavras-chave


Argumentação. Discurso Religioso. Pregação. Casamento.

Texto completo:

PDF

Referências


DUARTE, Cláudio, Pr. (2017). O segredo do sucesso no casamento: atentando para os detalhes. Série Mensagem Diante do Trono. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=waV6tSWrPwA. Acesso em: maio 2021.

REFERÊNCIAS

ANSCOMBRE, Jean-Claude; DUCROT, Oswald. L’argumentation dans la langue. Langages, 42, Paris, 1980 [1976]. p.5-27.

CUNHA, Magali do Nascimento. A explosão gospel: um olhar das ciências humanas sobre o cenário evangélico no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad X/Instituto Mysterium, 2007.

Duarte, Cláudio, Pr. A pessoa Cláudio Duarte. Disponível em: http://www.claudioduarte.com.br/o-bom-humor-na-missao-evangelizadora-do-pastor/. Acesso em: maio 2021.

DUCROT, Oswald. Provar e dizer: linguagem e lógica. Tradução de Tradução de Maria Aparecida Barbosa, Maria de Fátima G. Moreira e Cidmar Teodoro País. São Paulo: Global Universitária, 1981.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. Tradução de Rogério Fernandes. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

ESTEVES, Erasmo; Braga, Roberto Carlos. (1971). Detalhes. Disponível em: https://www.vagalume.com.br/roberto-carlos/detalhes.html. Acesso em: maio 2021.

FIORIN, José Luiz. Elementos de Análise do Discurso. 14.ed. 2.reimp. São Paulo: Contexto, 2009.

GALEMBECK, Paulo de Tarso. Metodologia de pesquisa em português falado. In: Rodrigues, Ângela Cecília de Souza et al (Orgs.). I Seminário de Filologia e Língua Portuguesa. (p.109-119). São Paulo: Humanitas/ FFLCH/ USP, 1999.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010: número de católicos cai e aumenta o de evangélicos, espíritas e sem religião. (2012). Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/noticias-censo?busca=1&id=3&idnoticia=2170&view=noticia. Acesso em: maio 2021.

JACOB, Cesar Romero et al. Atlas da filiação religiosa e indicadores sociais no Brasil. Rio de Janeiro: Loyola, 2003.

KASCHEL, Werner; ZIMMER, Rudi. Dicionário da bíblia de Almeida. 2.ed. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Argumentação e linguagem. 13. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Introdução à linguística textual: trajetória e grandes temas. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. A inter-ação pela linguagem. São Paulo: Contexto, 1992.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Situacionalidade e argumentatividade. In: SEMINÁRIO DO GEL, 11, São José do Rio Preto, SP. Anais... São José do Rio Preto, SP, GEL, 1985, p.168-170.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça; FÁVERO, Leonor Lopes. Contribuição a uma tipologia textual. Letras, Uberlândia, n. 3, v. 1, p.03-10, 1987.

MACHADO, Ida Lucia. A ironia como estratégia comunicativa e argumentativa. Bakhtiniana, São Paulo, n. 9 (1), p.108-128, jan./jul., 2014.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. A repetição na língua falada como estratégia de formulação textual. In: KOCH, Ingedore G. Villaça (Org.). Gramática do português falado: desenvolvimentos. (p.95-140). 2. ed. rev. Campinas: Ed. da UNICAMP; São Paulo: FAPESP, 2002.

MARIANO, Márcia Regina Curado Pereira. Retórica e humor: o riso como estratégia argumentativa. In: SEMINÁRIO DO GEL, 34, São Paulo. Anais... São Paulo: GEL, 2005, p. 1242-1247.

MARIANO, Ricardo. Expansão pentecostal no Brasil: o caso da Igreja Universal. Estudos Avançados. São Paulo, v.18, n.52, p.121-138, dez. 2004.

MOSCA, Lineide do Lago Salvador. Velhas e novas retóricas: convergências e desdobramentos. In: Mosca, Lineide do Lago Salvador (Org.). Retóricas de ontem e de hoje. 3.ed. São Paulo: Humanitas, 2004, p.17-54.

OLIVEIRA, Esther Gomes de; MACHADO, Rosemeri Passos Baltazar. O ethos em (cena): a força argumentativa do humor. Verbum: Cadernos de Pós-Graduação, Campinas, n. 3, p. 4-24, 2013.

PERELMAN, Chaim; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução de Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

SOUZA, Catiane Rocha Passos de. Religião midiatizada: uma análise discursiva do “riso”. In: CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA - CNLF, 16, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2012, p. 2646- 2656.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Um estudo textual-discursivo do verbo no português do Brasil. (Tese de Doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1991.

VITAL, Christina; LOPES, Paulo Victor Leite. Religião e política: uma análise da atuação de parlamentares evangélicos sobre direitos das mulheres e de LGBTs no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Böll & Instituto de estudos da Religião (ISER), 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v10i1.78857