NOTAS SOBRE ALGUNS DOCUMENTOS INEXPLORADOS PARA A HISTÓRIA DE ANGOLA: OS RÓIS DOS CONFESSADOS DE 1704

José C. Curto

Resumo


Este trabalho baseia-se numa fonte quantitativa que tem sido utilizada por historiadoras(es) nas últimas décadas, os róis ou arrolamentos de confessados. No caso particular de Angola, esta documentação contém informações demográficas dos indivíduos e da(s) família(s) que habitavam os fogos pertencentes às freguesias do Bispado de Angola no ano de 1704. Tendo como finalidade listar os fregueses que haviam cumprido seus deveres religiosos, o rol de confessados de Angola de 1704 não só permite compreender as estruturas de populações que antecederam o desenvolvimento de recenseamentos no final do século XVIII, mas também nos possibilita investigar os padrões de família, de habitação, de riqueza ou pobreza dos moradores e soldados e, especialmente, o número de escravos que esses indivíduos possuíam. Esta contribuição descreve essas possibilidades, com foco no presídio de Muxima.

Palavras-chave


Angola. História. Muxima. Rol de Confessados. Século XVIII.

Texto completo:

PDF

Referências


MALAQUIAS, C. O. Além da Família: o Perfil Demo-Econômico dos Domicílios da Freguesia de São José do Rio das Mortes em 1795, In: ANAIS DO XXVII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, n. 27, 2013, Natal: Anpuh Brasil, 22 a 26 de julho, p. 1-15;

MALAQUIAS, C. O. Remediados senhores: pequenos escravistas na freguesia de São José do Rio das Mortes, c.1790 c.1844. 2014. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, 2014;

MALAQUIAS, C. O. A família negra em liberdade: domicílios dos libertos em Minas Gerais no final do século XVIII. Acervo – Revista do Arquivo Nacional, Rio de Janeiro, n. 1, v. 30, p. 68-86, 2017;

ANTUNES, W. O. Escravidão e Sociedade na América Portuguesa: a freguesia de São José do Rio das Mortes, 1750-1800. Minas Gerais no século XVIII. História: revista da FLUP, v. 1, IV série, p.133-154, 2011.

WAGNER, A. P. População no Império Português: recenseamentos na África Oriental portuguesa na segunda metade do século XVIII. 2009. Tese (Doutorado em História) – Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná, Curitiba;

WAGNER, A. P. Porque sua Majestade quer saber o “número de vassalos que habitam nos seus domínios”: recenseamentos da África Oriental Portuguesa no último quartel do século XVIII”. In: XVII ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, n. 27, 2010, Caxambú: ABEP, 20 a 24 de setembro, p. 1-20;

RODRIGUES, E. Portugueses e Africanos nos Rios Sena: os Prazos da coroa em Moçambique nos Séculos XVII e XVIII. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 2013;

SILVA, F. R. From church records to royal population charts: The birth of “modern demographic statistics” in Mozambique, 1720s-1820s. In: ANAIS DE HISTÓRIA DE ALÉM-MAR, n. 16, 2015, Lisboa: Centro de História d’Aquém e d’Além Mar, p. 17-50;

SILVA, F. R. Counting People and Homes in Urban Mozambique in the 1820s: Population Structures and Household Size and Composition. African Economic History, v. 45, n. 1, p. 46-76, 2017.

BLANCO, M. M. Pelas veredas da senzala: família escrava e sociabilidades no mundo agrário (Campos de Viamão, c.1740- c.1760). 2012. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre;

DANILEVICZ, I. M. Aspectos demográficos e padrão de posse de escravos em Viamão (1776 – 1784). 2009. Monografia (Graduação em História) – Departamento de História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre;

FREITAS, D. T. L. Para além do matrimônio: formas de união, relações familiares e sociais na Freguesia Madre de Deus de Porto Alegre (1772-1822). 2017. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre;

GOMES, L. C. Uma cidade negra: escravidão, estrutura econômico-demográfica e diferenciação social na formação de Porto Alegre, 1772-1802. 2012. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre;

GOMES, L. C. Camponeses e pequenos escravistas: estrutura econômica, reprodução social e vínculos extradomiciliares de produtores rurais em Porto Alegre e Viamão, décadas finais do século XVIII. 2018. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre;

GOMES, L. C. Escravidão e agricultura no Rio Grande de São Pedro, período colonial: sugestão de um modelo de interpretação. Revista Latino-Americana de História – UNISINOS, São Leopoldo, v. 3, n. 10, p. 80-110, 2014;

SCHANTZ, A. P. D. Libertos no Rio Grande de São Pedro: Porto Alegre e Viamão no final do século XVIII e início do XIX. 2009. Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Salvado




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v9i2.76609