O “ATEÍSMO NEW AGE”? MORALIDADE E ESPIRITUALIDADE EM SAM HARRIS

Danilo Monteiro Firmino

Resumo


O presente trabalho procura discutir certos aspectos da tese de doutorado em andamento intitulada “Uma “Nova Era” no ateísmo: ciência moderna, espiritualidade e desencantamento religioso na perspectiva de Sam Harris”. O recorte estabelecido neste artigo procura investigar as relações entre o pensamento do filósofo e neurocientista ateu Sam Harris e as práticas conhecidas como Nova Era (New Age). Em sua busca pela moralidade e espiritualidade longe da influência religiosa e baseada na ciência, o autor pauta suas discussões em elementos e discussões recorrentes de círculos New Age, promovendo assim uma possível influência, mesmo não intencional, das ideias da Nova Era em suas reflexões.

Palavras-chave


Ateísmo; Nova Era; Sam Harris; Moralidade; Espiritualidade

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Leila. Sincretismo em movimento - O estilo Nova Era de lidar com o sagrado. IN: A Nova Era no Mercosul. Rio de Janeiro, Petrópolis, Vozes: 1999 .

ARAÚJO, Odair José de. “Secularização e efervescência religiosa: contrastes da modernidade”. XI Congresso Brasileiro de Sociologia. UNICAMP, Campinas, SP, GT 19: Religião e Sociedade. 1 a 5 de setembro de 2003, pp: 1-14.

CAROZZI, María Julia. Introdução. IN: A Nova Era no Mercosul. Rio de Janeiro, Petrópolis, Vozes: 1999.

CONTEPOMI, María. Nova Era e Pós-Modernidade: Valores, crenças e práticas no contexto sociocultural contemporâneo. IN: A Nova Era no Mercosul. Rio de Janeiro, Petrópolis, Vozes: 1999.

FRANCO, Clarissa de. O ateísmo de Richard Dawkins nas fronteiras da ciência evolucionista e do senso comum. Tese de Doutorado. PUC, São Paulo, 2014.

_______. Ateísmo contemporâneo e celebração da ética do bem-estar: elementos festivos da espiritualidade ateia. IN: Ciberteologia - Revista de Teologia & Cultura - Ano XI, 2015.

GOFFMAN, Ken & JOY, Dan. Definindo Contracultura. IN: Contracultura através dos tempos. (versão digital do capítulo 2 disponível em: https://pt.scribd.com/document/26758728/DefinindoContracultura-Ken-Goffman-e-Dan-Joy) acesso em: 29/07/2020.

GUERRIERO, Silas. Novas configurações das religiões tradicionais: re-significação e influência do universo Nova Era. IN: Tomo, Sergipe: São Cristóvão, n14, 2009.

HANEGRAAFF, Wounder. New Age Movement. IN: JONES, Lindsay (Org.). IN: Encyclopedia Of Religion. 10 v. 2ª ed. Farmington Hills: Thomson Gale, 2005, p. 6495-6500. Portuguese translation by Fábio L. Stern & Carlos Q. Bein Disponível:

https://www.academia.edu/25678254/Movimento_da_Nova_Era, acesso em 30/07/2020.

HARRIS, Sam. O Fim da Fé: religião, terrorismo e o futuro da razão. Lisboa: Tinta da China, 2007.

___________. A Paisagem Moral: como a ciência pode determinar os valores humanos. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

___________. Despertar: um guia para a espiritualidade sem religião. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

HERVIEU-LÉGER, Danièle. O peregrino e o convertido: a religião em movimento. Petrópolis: Vozes, 2015

KLIM, Max. A História reinterpretada pela Astrologia. Rio de Janeiro, RecordNova Era:2000

MAGNANI, José. O neo-esoterismo na cidade. IN: Revista USP, São Paulo, 1996.

_______________. O circuito neo-esotérico na cidade de São Paulo. IN: A Nova Era no Mercosul. Rio de Janeiro, Petrópolis, Vozes: 1999 .

OLIVEIRA, Amurabi. NOVA ERA E NEW AGE POPULAR: as transformações nas religiões brasileiras. IN: Cad. De Pesq. Interdisc. Florianópolis, 2011.

PIERUCCI, Flávio. Secularização em Max Weber: da contemporânea serventia de voltarmos a acessar aquele velho sentido.IN: Revista Brasileira de Ciências Sociais. Vol. 13, n. 37, São Paulo, 1998.

TAYLOR, Charles. As fontes do Self: a construção da identidade moderna. Edições Loyola: São Paulo, 1997.

VOLCAN, Sandra; SOUSA, Paulo; MARI, Jair e HORTA, Bernardo. Relação entre bem-estar espiritual e transtornos psiquiátricos menores: estudo transversal. IN: Revista Saúde Pública. 2003;37(4):440-5.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v9i2.75579