GRAMSCI: UM OLHAR MARXISTA SOBRE O FENÔMENO RELIGIOSO

Allan Azevedo Andrade, Fernando Arthur Freitas Neves

Resumo


O presente trabalho tem como escopo destacar a análise marxista de Antonio Gramsci sobre o fenômeno religioso, sem desconsiderar sua perspectiva historicista. Em seus escritos, os chamados Cadernos do Cárcere, são encontradas contribuições muito importantes para o estudo da religião, particularmente, quando circunscreveu seu entendimento do evento como estrutura, irrupção inovadora, profundas transformações, desintegração e transição estrutural. Ao invés de se aproximar de um pretenso objetivismo, Gramsci considera a dimensão subjetiva ao desenvolver sua estratégia sobre o papel dos intelectuais, a luta cultural, e o papel do proletariado ao intervir na elaboração da estrutura em superestrutura na consciência do indivíduo, se opondo a história especulativa e teológica ao passo que busca compreender o papel contemporâneo da Igreja e a importância da cultura religiosa entre as camadas populares. Sua abordagem oferece outra qualidade para a questão da subjetividade ao torná-la a um par da realidade material, distanciando-se assim da compreensão metafísica rasa de duas esferas.

Palavras-chave


Religião; Gramsci; Igreja.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v9i1.73565