UM ESTUDO SOBRE ATEÍSMO NO ANARQUISMO: ANÁLISE DA PEÇA TEATRAL “O SEMEADOR”, DE AVELINO FÓSCOLO

Ricardo Cortez Lopes, Lis Yana de Lima Martinez

Resumo


Esta pesquisa problematiza um ateísmo anarquista por meio da literatura, mais precisamente a peça O semeador, de Avelino Fóscolo. Essa reflexão pontual está inserida dentro dos estudos mais amplos sobre o movimento social ateu, sendo esta manifestação considerada como da vertente revolucionária. A obra foi analisada com base em quatro temas: Deus (como a divindade católica é retratada?), Vigário (como ele é apresentado na peça?), Religião (como princípios religiosos são retratados?) e Fiel (Como é retratado um religioso?). Os resultados apontaram para um enredo pautado no ateísmo de aposta: deus aparece como um engano que serve exclusivamente para manter a desigualdade, e isso fica demonstrado a posteriori se a revolução ocorre.

Palavras-chave


Ateísmo anarquista; Avelino Fóscolo; O semeador; teatro.

Texto completo:

PDF

Referências


AQUINO, Gustavo Ramus de; Anarquismos, cristianismo e literatura social no Brasil (1890-1938). 2011. Tese de Doutorado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

DA SILVA, Ricardo Oliveira. O ateísmo no Brasil: Os sentidos da descrença nos séculos XX e XXI. Judiaí: Paco e Littera, 2020.

_____. Será que chegou a hora e a vez do ateísmo na historiografia brasileira? Revista eletrônica história em reflexão, v. 12, n. 24, p. 280-308, 2018.

DUARTE, Regina Horta. A imagem rebelde trajetoria libertaria da Avelino Fóscolo. Campinas: Unicamp, 1991.

_____. Imagens libertárias da escravidão o romance de Avelino Fóscolo. Rev. Dept de História, n.6, 1988, p. 129-136.

DUARTE, Constância Lima. Dicionário biobibliográfico de escritores mineiros. São Paulo: Autêntica, 2018.

DURKHEIM, Émile. As formas elementares da vida religiosa. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

ELTZBACHER, Paul. The Great Anarchists: ideas and teachings of seven major thinkers. Nova York: Dover, 2004.

FÓSCOLO, Avelino. O semeador. In: VARGAS, Maria Thereza (org.). Antologia do teatro anarquista. São Paulo: Editora Martins

Fontes, 2009.

JOVCHELOVITCH, Sandra. Os contextos do saber: representações, comunidade e cultura. Petrópolis: Vozes, 2008.

LAURIS JUNIOR, Renato Luiz. José Oiticica: reflexões e vivências de um anarquista. Dissertação (mestrado) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis. Programa de Pós-Graduação em História.2009.

LOPES, Ricardo Cortez; MARTINEZ, L. Yana L. Um estudo sobre três premissas do argumento ateu na peça O berço do herói, de Dias Gomes. Philia, v. 1, n. 2, p. 505-525, 2019.

LOPES, Ricardo Cortez. Construindo Contextos: Uma contribuição sociológica para compreender a relação indivíduo e sociedade. Curitiba: Viseu, 2019.

_____. O conceito de prova segundo a Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (ATEA). Semana Acadêmica do PPG em Filosofia da PUCRS, Porto Alegre, v. 23, n.1, p. 1-12, 2014. Disponível em: http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/anais/semanadefilosofia/XIII/23.pdf

_____. O ateísmo como movimento social nos materiais de divulgação do templo positivista de porto alegre: uma análise de representações sociais. In: VIANNA, Marcelo (Org.). O historiador e as novas tecnologias. Porto Alegre: EdiPUCrs, 2015.

_____. Reprodução sob condições controladas: o ateísmo como movimento social nas representações sociais dos materiais de divulgação do Templo Positivista de Porto Alegre. Trabalho de conclusão(graduação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Porto Alegre, BR-RS, 2013.

LUIZETTO, Flávio Venâncio. As utopias anarquistas. São Paulo: Brasiliense, 1987.

MARIANO, Ricardo. Efeitos da secularização do Estado, do pluralismo e do mercado religiosos sobre as igrejas pentecostais. Civitas-Revista de Ciências Sociais, v. 3, n. 1, p. 111-125, 2003.

MARTINS, Pablo dos Santos. O anticlericalismo anarquista durante a primeira república Brasileira (1899-1920). Revista Cantareira, n. 28, JAN-JUL, 2018, p.150-168.

MOSCOVICI, Serge. La Psychanalyse, son image, son public. Paris: PUF, 1961.

OLIVEIRA, Fabiana Lazzari de; SILVA, Rosimeiri da; COLLAÇO, Vera. Expressões da mulher na dramaturgia do teatro operário anarquistas. Urdimento, v. 2, n. 21, p. 020-030, 2013.

PASSETTI, Edson. Heterotopias anarquistas. Verve, n. 2, p.141-173, 2002.

PEREIRA, Priscila de Andrade. A tática do teatro libertário anarquista no contexto brasileiro. Pesquisa & educação a distância, n. 13, 2018.

SÁ, Celso Pereira. Núcleo Central das Representações Sociais. Petrópolis: Vozes, 1996.

SILVA, Doris Accioly e. Anarquistas: criação cultural, invenção pedagógica. Educ. Soc., Campinas, v. 32, n. 114, p. 87-102, jan.-mar. 2011.

SODRÉ, Nelson Werneck. O naturalismo no Brasil. Rio de Janeiro: civilização brasileira s.a, 1965. WALTER, Nicolas. Do anarquismo. Cidade da Praia: Sotavento, 1981.

WILKINS, Ernest H. Samuel Carter Hall on Foscolo. Romanic Review, v. 41, n. 3, p. 187, 1950.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v9i2.72993