HISTÓRIA, EPISTEMOLOGIA E EMARANHADO NAS NARRATIVAS DE SÃO BENEDITO DE BRAGANÇA DO PARÁ

Elcio Sant’Anna

Resumo


Este é um estudo sobre as “narrativas de São Benedito nas festividades de Bragança do Pará”. As histórias de São Benedito dão conta de sua franca atividade, constituindo-se em suporte de devoção. A pesquisa se orientou especialmente por uma abordagem não reducionista, a fim de, evitar dicotomias tais como, mito e rito, festividades e narrativas, e a partir da adoção de um modelo compreensivo chamado aqui de “experiências agoráticas” que tem por objetivo lançar luzes sobre as imagens vistas na vivência etnográfica, de modo a não dissociar as narrativas e festas. Por isto, a pesquisa foi feita junto aos esmoladores e seus encarregados, as narrativas do Santo no percurso emaranhado das esmolação. Havia o interesse de resgatar a história da marujada como contexto institucional-festivo para as narrativas beneditinas no bojo da esmolações. Deste modo, percebe-se que uma “meshwork” de narrativas é formada a partir das viagens dos esmoladores de São Benedito, construindo “mapas verbais” da devoção na região dos colonos. Além disso, as narrativas exemplares reforçam o impacto do conteúdo da devoção dos colonos de Bragança do Pará, deixando clara a competência performativa de contadores de histórias.


Palavras-chave


“Meshwork” de narrativas; Devoções beneditinas; Experiências agoráticas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v7i2.64414