EXU: UM TRICKSTER SOLTO NO “TERREIRO” PSÍQUICO

Michelle Suzana de Almeida Gabani, Carlos Augusto Serbena

Resumo


O Exu, marginalizado ou idolatrado, gera temor e fascínio ao ser personificado tanto em terreiros de prática religiosa afro-brasileira quanto nos “terreiros” psíquicos de indivíduos não praticantes. Embora personifique o Diabo ou uma miríade de demônios para o senso comum, no entendimento da psicologia analítica, o Exu pode ser interpretado como uma manifestação imagética do arquétipo do Trickster. Quando um conteúdo inconsciente é substituído por uma imagem projetada que gera terror como o Exu, deixa de exercer sua função de formação da consciência, revelando uma tendência à regressão a conteúdos mais arcaicos e gera uma projeção religiosa que leva seu emissor à ilusão de que o mal vem do exterior. A conscientização da projeção sombria permite a transcendência, a aceitação de potências arquetípicas interiores desconhecidas e sua regulação, revelando um potencial oculto construtivo e não mais sombrio e amedrontador.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v4i1.42260