MANOEL DE MELLO: EXPOENTE NA RADIODIFUSÃO RELIGIOSA AO ANONIMATO NA HISTORIOGRAFIA BRASILEIRA

José Hélio de Lima

Resumo


No estudo da historiografia dos movimentos religiosos brasileiros, constata-se que o catolicismo romano predominou por quase quatro séculos, e que foi no início do século XX que o monopólio foi quebrado quando ela deixou de ser a religião oficial do Estado, mas foi, sobretudo com o advento do protestantismo e, posteriormente, do pentecostalismo que outras formas de crenças cristãs passaram a ganhar espaço. Os evangélicos representam hoje quase um quarto da população nacional, e destes os pentecostais e neopentecostais somam mais de setenta por cento dos fieis. Até meados da década passada esses fieis eram ignorados como grupo ou segmento religioso nos livros de história brasileira utilizados nas escolas públicas e também nos centros de pesquisa da historiografia nacional. Alguns personagens importantes na formação das crenças e valores religiosos, como o Missionário Manoel de Mello, fundador da Igreja Pentecostal O Brasil Para Cristo, não deveriam estar fora dos principais textos, especialmente aqueles que narram os fenômenos religiosos modernos, como os midiáticos neopentecostais e católicos carismáticos. Diante destes fatos nesta pesquisa há uma proposta de levantar a questão observando algumas pesquisas que apontaram Mello como o personagem central do movimento denominado “pentecostalismo de rádio”.

Palavras-chave


Manoel de Mello; Pentecostalismo de Rádio; Igreja O Brasil Para Cristo

Texto completo:

PDF

Referências


BELLOTTI, Karina Kosicki. Delas é o reino dos céus: mídia evangélica infantil na cultura pós-moderna do Brasil (anos 1950 a 2000) - Campinas, SP: [s. n.], 2007.

CAMPOS, Leonildo Silveira. Teatro, templo e mercado: organização e marketing de um empreendimento neopentecostal. Petrópolis, RJ: Ed. Vozes, 1997.

CARRANZA DÁVILA, Brenda Maribel. Movimentos do catolicismo brasileiro: cultura, mídia, instituição. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Universidade Estadual de Campinas: Campinas, SP, 2005.

FRESTON, PAUL. Protestantes e política no Brasil: da constituinte ao impeachment. 1993. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1993.

HOLLENWEGER, Walter. El pentecostalismo: historia y doctrinas. Buenos Aires. Editorial La Aurora, 1976.

MARIANO, Ricardo. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 1997.

LIMA, José Hélio de. Manoel de Mello & Rádio: história da organização e expansão da Igreja O Brasil para Cristo. Hortolândia, SP: Foco Editorial, 2009).

LOPES JÚNIOR, Orivaldo P. O protestantismo no nordeste do Brasil. In Anuário Estatístico da FIBGE. Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, 1998, p. 3.

READ, William R. Fermento religioso nas massas do Brasil. São Bernardo do Campo, SP. Imprensa Metodista, 1967.

SOUZA, Beatriz Muniz. A experiência da Salvação: pentecostais de São Paulo. São Paulo: Editora Duas Cidades, 1969.

WATANABE, Tiago Hideo Barbosa. Escritos nas fronteiras: os livros de história do protestantismo brasileiro. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras, Assis, 2011, p. 27.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v1i2.31083