Open Journal Systems

O POTENCIAL DE GERAÇÃO DE ENERGIA FOTOVOLTAICA INTEGRADA A REDE PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO: “UM EXEMPLO DE AÇAILÂNDIA PARA O MARANHÃO”

Leonardo da Silva Rocha, Jose Bruno Silva Gomes, Thailon Rodrigo Carvalho da Silva, Pedro Alves Fontes Neto

Resumo


A atual forma de produção de energia elétrica no Brasil é em sua maior parte advinda das hidrelétricas, apesar de ser considerada energia renovável, é poluente, pois alaga florestas inteiras destruindo a fauna e a flora além de emitir anualmente altas taxas de dióxido de carbono. Esses impactos ambientais aliados ao aumento gradativo das tarifas de energia cobradas e da crescente expansão da rede hidrelétrica no Maranhão pedem novas alternativas energéticas. Neste sentido esta pesquisa justifica-se por apresentar uma nova alternativa de geração de energia que atende e se adequa as demandas energéticas e ambientais, tendo como exemplo a cidade de Açailândia, situada no oeste maranhense. O Brasil dispõe de grande potencial para a aplicação da energia solar e é particularmente privilegiado por ter elevados níveis de radiação anualmente. O objetivo geral desta pesquisa é apresentar fatores positivos locais para a implantação da energia solar integrada a rede pública de distribuição, fatores estes que podem ser generalizados para o estado uma vez que elementos como a radiação que afeta na produção pouco mudam nas cidades do Maranhão. Analisou-se a experiência teórica da implantação com o auxílio do programa Simulador Solar, disponibilizado pelo Instituto Ideal, em 6 unidades que demonstram o perfil adequado para inserção da energia solar fotovoltaica integrada a rede pública de distribuição. Ainda são apresentadas as vantagens da inserção desta energia, tanto para o consumidor quanto para o meio ambiente, assim como as barreiras para a sua expansão destacando que há estudos indicando uma queda nas barreiras, havendo por consequência uma valoração neste tipo de geração de energia. Espera-se assim que as informações e a forma de análise aqui expostas venham contribuir para que torne a sociedade maranhense sensível à problemática ambiental quanto à produção de energia que os cerca, destacando o quanto é importante investir em novas fontes de energia renováveis e não poluentes, tornando-se assim um modelo de empreendimento para a produção de energia elétrica e para futuras pesquisas que venham a ser realizadas por parte dos pesquisadores maranhenses visando uma maior viabilidade de instalações desta natureza, melhorando assim a qualidade de vida da população.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA ELÉTRICA E ELETRÔNICA–ABINEE Propostas para Inserçãoda Energia Solar Fotovoltaicana na Matriz Elétrica Brasileira. 1. ed. S.l: Grupo Setorial de Sistemas Fotovoltaicos da ABINEE, 2012. 176p.

ABREU et al. Atlas Brasileiro de Energia Solar. 1. ed. São José dos Campos: INPE, 2006. 64p.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA–ANEEL Resolução Normativa ANEEL n. 482, de 17 de abril de 2012. Estabelece as condições gerais para o acesso de microgeração e minigeração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica, o sistema de compensação de energia elétrica, e dá outras providências. Diário Oficial, de 19 abr. 2012, seção 1, p. 53.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA–ANEEL Tarifas em Vigência de todas as concessionárias. S.l: Online, 2013. Disponível em: Acesso em: 4 mai. 2014

BAQUI et al. Gerador Eólico de baixo custo para comunidades remotas. 2003. 269f. Monografia (Bacharelado em Engenharia Industrial Elétrico-Eletrotécnica) - CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARANÁ, Curitiba, 2003.

BENEDITO, R. S. CARACTERIZAÇÃO DA GERAÇÃO DISTRIBUÍDA DE ELETRICIDADE POR MEIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS CONECTADOS À REDE, NO BRASIL,SOB OS ASPECTOS TÉCNICO, ECONÔMICO E REGULATÓRIO. 2009. 110f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, SÃO PAULO, 2009.

BERLENGA, J. F. F. Estudo de viabilidade de uma instalação fotovoltaica num edifício existente. 2012. 91f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) - INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA, Lisboa, 2012.

COUTINHO, L.; PAULIN, I.; SPERANDIO, M. Especial Cidades Médias. As Lições das que já viraram metrópoles. Revista Veja, Brasil, n.35, p.180, 2010.

DUTRA, L.; LAMBERTS, R.; PEREIRA, R. O. F. Eficiência energética na arquitetura. 3. ed. Universidade Federal de Santa Catarina: PW Editores, 1997. 188p.

FAVARETTO, A. J. Uma abordagem evolutiva e ecológica. São Paulo: Moderna, 1997. Disponível em: Acesso em: 12 abr. 2014

FEARNSIDE, P. M. HIDRELÉTRICAS COMO “FÁBRICAS DE METANO”: O PAPEL DOS RESERVATÓRIOS EM ÁREAS DE FLORESTA TROPICAL NA EMISSÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Oecologia Brasiliensis, anais, Manaus-AM, p.112-113, 2008.

GELLER, H. O Uso Eficiente da Eletricidade: Uma Estrategia de Desenvolvimento para o Brasill. ACEEE: INEE, 1994.

HOFFMANN, W. PV solar electricity industry: Market growth and perspective. Solar Energy Materials & Solar Cells, S.l, v.90, n.1, p.3285–3311, 2006.

INTERNATIONAL ENERGY AGENCY-IEA Key World Energy Statistics. 1. ed. EUA: INTERNATIONAL ENERGY AGENCY, 2011. 82p. Disponível em: <: http://www.iea.org/publications /ree_ new_ desc.asp? pubs ID=1199> Acesso em: 2 abr. 2014

INSTITUTO MARANHENSE DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS E CARTOGRÁFICOS-IMESC Índice de Desenvolvimento Municipal: Ano 2009. São Luís: Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos, v.3, 2010. 114p.

JANNUZZI, G. M. Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede Elétrica no Brasil: Panorama da Atual Legislação. Instituto para o desenvolvimento de energias alternativas na América Latina, Campinas/SP, n.1, p.1-53, 2009.

LEITE, A. M. Impacto Ambiental das Usinas Hidrelétricas. II Semana do Meio Ambiente, UNESP, Ilha Solteira, 2005.

MANCILHA, K. C. APLICAÇÃO DE ENERGIA FOTOVOLTAICA PARA PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS E ÁREAS INDUSTRIAIS. 2013. 83f. Monografia (Bacharelado em Engenharia Elétrica) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2013.

NASCIMENTO, C. A. PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DA CÉLULA FOTOVOLTAICA. 2004. 21f. Monografia (Bacharelado em Fontes alternativas de energia) - Universidade Federal de Lavras-UFLA, Minas Gerais, 2004.

NETO, A. B. M.; NUNES, G. B.; SILVA, M. A. Uso de painéis solares e sua contribuição para preservação do meio ambiente. Bolsista de Valor, Instituto Federal Fluminense, n.1, p.157-161, 2013.

RÜTHER, R. EDIFÍCIOS SOLARES FOTOVOLTAICOS: O Potencial da Geração Solar Fotovoltaica Integrada a Edificações Urbanas e Interligada à Rede Elétrica Pública no Brasil. 1. ed. Florianópolis: UFSC/LABSOLAR, 2004. 114p.

RÜTHER et al. PROGRAMA DE TELHADOS SOLARES FOTOVOLTAICOS CONECTADOS À REDE ELÉTRICA PÚBLICA NO BRASIL. Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído – ENTAC, anais, Fortaleza-CE, v.1, n.1, p.100-110, 2008.

SALÉS, I. C. F. Análise da Substituição do Chuveiro Elétrico por Aquecedor Solar: Uma Contribuição ao Setor Elétrico na Conservação de Energia. 2008. 158f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Química) - Universidade Federal de Alagoas, Máceio, 2008.

UCZAI, P. Energias Renováveis riqueza sustentável ao alcance da sociedade. CÂMARA DOS DEPUTADOS, Brasília-DF, n.10, p.1-273, 2012.

UDAETA, M. E. M. PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS ENERGÉTICOS –PIR– PARA O SETOR ELÉTRICO (pensando o desenvolvimento sustentável). 1997. 373f. Tese (Doutorado em Engenharia de Sistemas de Potência) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, USP, 1997.

VANNI, S. R. ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICA DE FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA DE UMA COMUNIDADE TÍPICA DA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL. 2008. 164f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia Nuclear – Reatores) - INSTITUTO DE PESQUISAS ENERGÉTICAS E NUCLEARES- Autarquia associada à Universidade de São Paulo, SÃO PAULO, 2008.

VIEIRA, I. S. EXPANSÃO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL. 2009. 84f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Elétrica) - UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA, Distrito Federal, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rber.v3i2.37513

Apontamentos