USO DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO PARA MAPEAR O POTENCIAL NATURAL DE EROSÃO DA CHUVA NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RESERVATÓRIO DE CACHOEIRA DOURADA GO/MG

João Batista Pereira CABRAL, Valter Antonio BECEGATO, Iraci SCOPEL, Regina Maria LOPES

Resumo


Definiram-se as áreas de potencial natural de erosão a partir de seus principais condicionantes naturais na bacia hidrográfica do reservatório de Cachoeira Dourada, por meio da Equação Universal de Perdas de Solos (EUPS) e de técnicas de geoprocessamento. Na decisão para definição do potencial natural de erosão (PNE) foi elaborada uma matriz com valores de erosividade (R), erodibilidade (K), declividade e comprimento de rampa (LS), na qual delimitou-se classes de baixo, médio, alto, muito alto e extremamente alto potencial natural de erosão, obtendo-se a distribuição espacial dos fatores R, K, LS e PNE. O maior índice de R médio para a série histórica foi de 8173,50 MJ ha mm-1 h-1 ano-1. Observouse que no período de trinta anos (1973 2002), a bacia do reservatório apresentou muitas áreas sujeitas à erosão laminar e em sulcos (69,16% do total). Entre as classes definidas, a maior parte das áreas apresenta baixo potencial natural à erosão, o que pode ser explicado pelo tipo de solo predominante e a baixa declividade. Áreas com médio a extremamente alto potencial de erosão requerem a adoção de medidas para prevenir o aparecimento e o desenvolvimento de processos erosivos mais graves (ravinas e vossorocas).

Palavras-chave


Solos; erodibilidade; SIG; Cachoeira Dourada(GO/MG); Soils; erodibility; GIS; Cachoeira Dourada(Brazil)

Texto completo:

PDF

Referências


BERTOL, I. Avaliação da erosividade da chuva na localidadede Campos Novos (SC) no período de 1981-1990. PesquisaAgropecuária Brasileira, Brasília, v. 29, n. 9, p. 1453-1458,set.1993.

BERTOL. I.; SCHICK, J.; BATISTELA, O. Erosividade daschuvas e sua distribuição entre 1989 e 1998 no município deLages – SC. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 26, p.455-464, 2002.

BERTONI, J.; LAMBARDI NETO. Conservação do solo. SãoPaulo: Icone, 1999. p 355.

COGO, N.P. Conceitos e princípios científicos envolvidos nomanejo de solo para fins de controle da erosão hídrica. In:CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 21.,1988, Campinas. Anais... Campinas: Sociedade Brasileira deCiência do Solo, 1988. p. 251-262.

DEDECEK, R. A. Capacidade erosiva das chuvas de Brasília-DF, In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA SOBRECONSERVAÇÃO DO SOLO, 2., 1978, Passo Fundo. Anais...[s.l.]: Embrapa - SNLCS, 1978. p.157-161.

GODOY, M. J. S.; LOPES ASSAD, M. L. Aptidão agrícola comestimativa de risco climático para a cultura do milho utilizandogeoprocessamento.Revista Brasileirade Ciência do Solo, v.26, p. 685-694, 2002.

LANDIM, P. M. B.; MARTEIRO, R.; CORSI, A. C. Introdução àconfecção de mapas pelo software SURFER. Geomática.Texto didático 8. DGA. Rio Claro: IGCE/Unesp, 2002. 20 p.

LEMOS, M. S. S.; BAHIA, V. G. Erosividade da chuva. InformeAgropecuário, v. 16, p. 25-31, 1992.

LOPES ASSAD, M. L. Uso de um sistema de informaçõesgeográficas na determinação da aptidão agrícola de terras. RevistaBrasileira de Ciência do Solo, Campinas, v. 19, p. 133-139, 1995.

LOPES, P. R. C.; BRITO, L. T. L. Erosividade da chuva nomédio São Francisco. Revista Brasileira de Ciência do Solo,v. 17, n. 1, p. 129-133, 1993.

MACIEL, M. M. Aplicação da equação universal de perdas desolo (USLE) em ambiente de geoprocessamento e suacomparação com aptidão agrícola. Curitiba, 2000. 76 p.Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo) – UniversidadeFederal do Paraná.

MARGOLIS, E.; SILVA, A. B.; JAQUES, F. O. Determinaçãodos fatores da equação universal de perdas de solo para ascondições de Caruaru (PE). Revista. Brasileira de Ciência doSolo, v. 9, p. 165-169, 1995.

MORAIS, L. F. B. de; SILVA, V. da; NASCHENVEN, T. M. daC. et al. Índice EI30 e sua relação com o coeficiente de chuvado sudoeste do Mato Grosso. RevistaBrasileira de Ciênciado Solo, v. 15, p. 339-344, 1991.

MOTTER, I. Uso do geoprocessamento como auxílio nomonitoramento da ocupação do solo em microbacias. Curitiba,1996. 83 p. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo) –Universidade Federal do Paraná.

NASCIMENTO, M. A. Bacia do rio João Leite: influência dascondições ambientais naturais e antrópicas na perda de terrapor erosão laminar. Rio Claro, 1998.176 p. Tese (Doutoradoem Geografia) – Unesp.

ROQUE, C. G.; CARVALHO, M. P.; PRADO, R. M. Fatorerosividade da chuva de Piraju (SP): Distribuição,probabilidade de ocorrência, período de retornoe correlaçãocom o coeficiente de chuva. Revista Brasileira de Ciência doSolo, v. 25, p. 147-156, 2001.

RUFINO, R. L. Avaliação do potencial erosivo da chuva paraa o Estado do Paraná: segunda aproximação. RevistaBrasileira de Ciências do Solo, Campinas, v. 1, p. 279-281,1986.

SCOPEL, I: Avaliação do risco de erosão através de técnicasde sensoriamento remoto e da equação universal de perdasde solo a nordeste de Cornélio Procópio (PR). Curitiba, 1988.156 p. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) –Universidade Federal do Paraná.

SCOPEL, I.; SILVA, M. R. Erodibilidade no Estado de Goiás.Uniciência, Anápolis, v.8, n.1 e 2, p. 123-132, 2001.

SILVA, J. R. C.; DEGLORIA, S. D.; PHILIPSON, W. R.;McNEIL, R. J. Estudo da mudança do uso da terra através deum sistema de análise georreferenciada. Revista Brasileirade Ciência do Solo, Campinas, v. 17, p. 451-457, 1993.

STEIN, D. P.; DONZELLI, P. L.; GIMENEZ; F. A.; PONÇANO,E. L.; LOMBARDI NETO, F. Potencial de erosão laminarnatural e antrópica na bacia do peixe Paranapanema. In:SIMPÓSIO NACIONAL DE CONTROLE DE EROSÃO, 4.,1987, Marília (SP). Anais...ABGE/DAEE, 1987. p. 105-135.

SURFER, version 8.0 Goldem Software, 2000. conjunto deprogramas. 1CD-Rom e manuais. (informações em: http://www.goldemsoftware.com).

WISCHMEIER, W. H. A raifall erosion index for a universalsoil loss equation. Soil Science Society of AmericaProceedings, v. 23, p. 246-249, 1959.

_____.; JOHNSON, C. B.; CROSS, B. V. A erodibitynomograph for farmland and construction sites. Journal of Soiland Water Conservation, Ankeny, v. 26, n. 6, p. 189-193, 1971.

_____.;SMITH, D. D. Predicting rainfall erosion losses: a guideto conservation planning. Washington: United StatesDepartamento of Agriculture, 1978. 58 p. (AgricultureHandbook, 537)




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v10i0.4982

Direitos autorais

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009