RESIDUOS SÓLIDOS NA ÁREA URBANA DE FAZENDA RIO GRANDE/PR: A PRODUÇÃO SOCIOAMBIENTAL DO ESPAÇO URBANO NA CIDADE PERIFÉRICA

João Batista Alves, Francisco de Assis Mendonça, Rafaela Pacheco Dalbem

Resumo


Este trabalho analisa a produção e o uso do espaço urbano e a disposição de resíduos sólidos em espaços abertos da cidade de Fazenda Rio Grande-PR. Realizou-se um diagnóstico de toda a cidade. Os locais de deposição foram identificados por coordenadas geográficas, o que culminou na produção de mapas em Software ArcGis. Verificou-se que todas as ruas da cidade estavam tomadas por disposição de resíduos em locais inadequados como calçadas, ruas e terrenos vagos. Nas áreas de maior densidade populacional, há uma maior deposição de lixo. Em menor escala, ocorre mesmo fato em setores censitários de menor renda. Essas condições denotam uma falha nos processos de gestão pública e da própria sociedade em lidar com seus resíduos, submetendo toda a comunidade a constantes riscos socioambientais. O estudo evidencia um exemplo da urbanização corporativa que se desenvolve nas cidades da periferia do capitalismo globalizado.


Palavras-chave


Cidade; Resíduos sólidos; Uso do Solo; Espaço Urbano

Texto completo:

ARTIGO AUTORIZAÇÃO

Referências


ABUL, S. Environmental and health impact of solid waste disposal at mangwaneni dumpsite in Manzini. Journal of Sustainable Development in Africa, Swaziland. v. 2, n. 7, p. 64-78, 2010.

ASCHER, F. Os novos princípios do urbanismo. São Paulo: Romano Guerra, 2010. 103 p.

BANDARA, N. J. G. J. Environmental impacts with waste disposal practices in a suburban municipality in Sri Lanka. Journal Environment and Waste Management, UK. v. 6, n. 1 e 2, p. 107-116, 2010.

BAUMAN, Z. A ética possível num mundo de consumidores? Tradução de Alexandre Werneck. Rio de Janeiro: Zaharm, 2011. 272p. Título original: Does ethics have a chance in a world of consumers?

BONFANTI, F. A. La incorrecta gestión de los residuos sólidos urbanos y su incidencia en la calidad de vida de la población de Resistencia. Resistencia. Universidad Nacional del Nordeste. Comunicaciones Científicas y Tecnológicas, Argentina. 2004. 4 p. Disponível em: < http://www.unne.edu.ar/unnevieja/Web/cyt/com2004/2-Humanidades/H-006.pdf> acessado em: 10 jan. 2013.

CHIEMCHAISRI, C.; JUANGA J. P.; VISVANATHAN, C. Municipal solid waste management in Thailand and disposal emission inventory. Environ Monit Assess. Springer: Science and Business Media, B.V. USA. 2007 (s.p). Disponível em: < http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17492361 > acessado em: 10 out. 2012.

CROWLEY, D.; STAINES, A.; COLLINS, C. et al. Health and Environmental Effects of Landfilling and Incineration of Waste - A Literature Review. School of Food Science and Environmental Health, Dublin: Report paper 3. 2003. 284p. Disponível em: Acessado em: 6 jun. 2013.

DAVIS, M. Planeta favela. Tradução Beatriz Medina. São Paulo: Boitempo. 2006. 272p. Título original: Planet of slums.

FAZZO, L; SANTIS, M; MITIS, F. et al. Ecological studies of cancer incidence in an area interested by dumping waste sites in Campania (Italy). Ann Ist Super Sanità, Italy. v. 47, n. 2, p. 181-191, 2011.

FERREIRA, J. A; ANJOS, L. A. Aspectos de saúde coletiva e ocupacional associados à gestão dos resíduos sólidos municipais. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p. 689 – 696, mai-jun, 2001.

FIGUEIREDO, P. J. M. A sociedade do lixo: os resíduos, a questão energética e a crise ambiental. Piracicaba: UNIMEP. 1994. 240p.

FIRKOWSKI, O. L. C. de F. Região metropolitana no Brasil: assim é se lhe parece. Campo Mourão. I Simpósio de Estudos Urbanos-SEURB. Desenvolvimento Regional e Dinâmica ambiental. Anais... Campo Mourão. Agosto de 2011. p. 29-31.

GESCHWIND, S. S.A.; STOLWIJK, A. J.; BRACKEN, M. et al. Risk of Congenital Malformations Associated with Proximity to Hazardous Waste Sites. American Journal of Epidemiology. USA. v. 135, n. 11, p. 1197 – 1207, 1992. Disponível em:Acessado em: 20 out. 2010.

GOTTDIENER, M. A produção social do espaço urbano. Tradução de Geraldo Gerson de Souza. São Paulo: EDUSP. 2a ed. 2010. 310p. Título Original: The Social Production of Urban Space.

HELLER L. Resíduos sólidos domésticos e saúde: populações vulneráveis e situações de risco. In: Porto MFS, Freitas CM (Orgs). Problemas ambientais e vulnerabilidade: abordagens integradoras para o campo da saúde pública. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2002. p. 99-124.

INSTITUO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE (a). Sinopse do Censo Demográfico 2010. Disponível em: Acessado em: 20 mai. 2010.

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECOCÔMICO E SOCIAL. (IPARDES). OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES. Como andam as metrópoles: Região Metropolitana de Curitiba. 2006. 190p.

JACOBI, P. R. Desafios e reflexões sobre resíduos sólidos nas cidades brasileiras. In: SANTOS L, M. C.; DIAS, S. L. F. G. Resíduos sólidos urbanos e seus impactos socioambientais. (orgs.). São Paulo: IEE-USP, 2012. 82 p.

ALIL, A. Sustainable Development in Malaysia: A case study on household waste management. Journal of Sustainable Development, Canadian. v.. 3, n. 3. p. 91-102. Sep. 2010. Disponível em: < http://www.ccsenet.org/journal/index.php/jsd/article/view/7323 > Acessado em: 10 dez. 2012.

JOSEPH, K.Solid waste dump sites to sustainable landfills. In: EnviroVision 2002. Centre for Environmental Studies, Anna University, Chennai, India. 2002. B1 (3) – p. 1-14. Disponível em: Acessado em: 10 dez. 2012.

LIMA, J. D. Gestão de resíduos sólidos urbanos no Brasil. Campina Grande: ABES, 2001. 267p.

MENDONÇA. S.A.U. – Sistema socioambiental urbano: uma abordagem dos problemas socioambientais da cidade. IN: MENDONÇA, Francisco (org.) Impactos socioambientais urbanos. Curitiba: UFPR, 2004. 330p.

MORAES, L. R. S. Acondicionamento e coleta de resíduos sólidos domiciliares e impactos na saúde de crianças residentes em assentamentos periurbanos de Salvador, Bahia, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro. n. 23, Sup 4. p. 643 – 649, 2007.

MUDZENGERERE, F. H.; CHIGWENYA, A. Waste management in Bulawayo city council in Zimbabwe: in search of sustainable waste management in the city. Journal of Sustainable Development in Africa, Pennsylvania. v. 14, n. 1, p. 228-244, 2012.

MUÑOZ, S. I. S. Impacto ambiental na área do Aterro Sanitário e Incinerador de resíduos sólidos de Ribeirão Preto – SP: avaliação dos níveis de metais pesados. 131f. Tese (Enfermagem e Saúde Pública) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. PPG de Enfermagem e Saúde Pública. 2002.

NAKAYAMA, O.; OHKUMA, k. Mental Health Status of Municipal Solid Waste Incinerator Workers Compared with Local Government Office Workers. Industrial Health. n. 44, p. 613–618. 2006. Disponível em: Acessado em: 8 jan. 2013.

NUNESMAIA, M. F. A gestão dos resíduos sólidos e suas limitações. Revista Baiana de Tecnologia- SSA. v. 17, n. 1, p. 120-129. Jan/abr. 2002.

OLIVEIRA, C. F.; SANTOS, R. L. Mapeamento e aplicação de estatística espacial dos deslizamentos em Salvador – BA. Feira de Santana. V Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto. Anais... Feira de Santana-BA. 2011. p. 29-32. em: < http://www.geonordeste.com/apresentacao_oral/00281_113511.pdf> Acessado em: 05/10/2012.

ORSI, R. A. Convivendo Com O Lixo: A Vulnerabilidade socioambiental no bairro Jardim Graminha, Leme, São Paulo. Argentina. 2002.7º Congresso de Medio Ambiente. AUGM. Anais...La Plata Argentina. Maio. 2002. p. 1 – 20.

PROGRAMA DE LAS NACIONES UNIDAS PARA EL DESARROLHO (PNUD). Guia metodológica de capacitacion em gestion ambiental urbana para universidades de América Latina Y EL Caribe. New York. PNUD/UNOPS. 1997. 206p.

REYES, J. A. M. El problema de la basura en la Ciudad de México. Fundación de Estudios Urbanos y Metropolitanos. 2004. 82 p. disponível em: Acessado em: 11 dez. 2012.

RODRIGUES, A. M. Produção e Consumo do e no Espaço: Problemática ambiental urbana. São Paulo: Hucitec, 1998. 238p.

ROLNIK, R. Resíduos sólidos urbanos: repensando suas dimensões. In: SANTOS, L. M. C.; DIAS, S. L. F. G. Resíduos sólidos urbanos e seus impactos socioambientais. (orgs.). São Paulo: IEE-USP. 2012. 82 p.

SANTOS, M. A urbanização brasileira. 5ª ed. São Paulo: Edusp. 2005.174p.

_______ A natureza do espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4ª ed. São Paulo: USP. 2006. 259p.

THOMPSON, J.; ANTHONY H. The Health Effects of Waste Incinerators: 4th Report of the British Society for Ecological Medicine. Besen. British Society for Ecological Medicine, UK 2ª ed. 2008. 71p. Disponível em: Acessado em: 08 jan. 2013.

UNITED NATIONS ENVIRONMENT PROGRAMME - UNEP. Solid Waste Management. UNITED NATIONS-HABITAT. Meeting Development Goals in Small Urban Centres: Water and Sanitation in the World Cities. London:Earthscan Publications, 2006. 273p.

UNITED NATIONS ORGANIZATION. Urban Population, Development and the Environment, 2011. Disponível em: Acessado em: 04 jun. 2013.

VILLAÇA, F. Espaço intraurbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel/FAPESP: Lincoln Institute, 2001.373p.

WALDMAN, M. Lixo: cenários e desafios. São Paulo: Cortez, 2010. 231p.

YALAN, L; YUHUAN, R.; AIHUA, W. et al. Identifying the location and distribution of the open-air dumps of solid wastes using remote sensing technique. The International Archives of the Photogrammetry, Remote Sensing and Spatial Information Sciences. V. XXXVII. Part B8. Beijing. 2008. P. 67-72. Disponível em: Acessado em: 10 dez. 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v44i0.48206

Direitos autorais 2018 Raega - O Espaço Geográfico em Análise

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009