CARACTERÍSTICAS DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE EM CURITIBA E ANÁLISE DAS IMPLICAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS DECORRENTES DOS MÉTODOS DE TRATAMENTO E DESTINO FINAL

Maria Inez Antonia Pelacani SPINA

Resumo


Este artigo apresenta as características do gerenciamento integrado dos Resíduos Sólidos dos Serviços de Saúde (RSSS), desenvolvido pelo Poder Público e empresas de saúde de Curitiba, durante o período de 1989 a 2001, e analisa os problemas socioambientais que as etapas referentes ao manejo, tratamento e destino final dos resíduos infectantes podem causar ao ambiente e à saúde pública ao longo do tempo. Constatou-se, ao final do período analisado, que apenas 862 empresas de saúde de Curitiba encontravam-se devidamente cadastradas ao programa de coleta seletiva denominado Lixo que não é lixo hospitalar, havendo necessidade de ampliação desses serviços a todas as empresas de saúde geradoras de resíduos infectantes existentes no município, mediante cadastramento ao programa. Ressalta também que o monitoramento periódico das condições físico-ambientais da área das valas sépticas, método de destino final dos resíduos infectantes, é de fundamental importância para se dimensionarem as reais condições dos componentes físicos dessa área e para serem evitados os efeitos nocivos da decomposição dos resíduos patogênicos ao ambiente e à qualidade de vida da população.

Managements characteristics of Curitiba´s solid bio-medical waste residues and the social and environmental implications resulting from the method of treatment and final disposal

Abstract

This paper focuses the integrated managements characteristics of solid bio-medical waste residues developed by the government and health companies from Curitiba during 1989 till 2001, and it analyzes social and environmental problems that the steps relating to handling, treatment and final disposal of infected residues can cause to the ambient and public health. After the period analyzed, the results shows just 862 health companies from Curitiba were registered at Lixo que não é lixo hospitalar, a local program of selective waste collect. This made clear the necessity of growing for this service to register all health companies that produce infecting residues in the city. Besides, this paper points out the importance of periodic verifications for the sanitary landfills conditions (final disposals method for infecting residues) to indicate the real conditions of the physical parts present on this area, and avoid the malign effects resulting from the pathogenic residues decomposition on the environment and to populations life quality.


Palavras-chave


Resíduos sólidos dos serviços de saúde; gerenciamento; destino final; meio ambiente; Solid bio-medical residues; management; final disposal; environment.

Texto completo:

PDF

Referências


GÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA – ANVISA.Resolução da Diretoria Colegiada n. 306 de 7 de dezembrode 2004. Dispõe sobre o regulamento técnico para ogerenciamento de resíduos de serviços de saúde. DiárioOficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 10 dez.2004.

BERTUSSI FILHO, Luis A. Resíduos de serviços de saúde:gerenciamento, tratamento e destinação final. Apostila docurso promovido pela Associação Brasileira de EngenhariaSanitária e Ambiental (ABES), Palmas, TO, 1994.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gerenciamento de Resíduosde Serviços de Saúde. Projeto Reforsus, Brasília, 2001.

CALDERONI, Sabetai. Os bilhões perdidos no lixo. São Paulo:Humanitas, 1998.

COMEC. Fotografia aérea pancromática. Escala: 1:8.000. 9-4748, 1985.CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE – CONAMA.Resolução n. 05/93. Brasília, 1993. (incompleto)

_____. Resolução n. 283 de 12/7/2001. Brasília, 2001.(incompleto)

CURITIBA. Prefeitura Municipal. Fotografia aéreamonocromática. Escala: 1:8.000. 9-4748, 1985.

GAIESKI, Antonio A. Curitiba: o gerenciamento dos resíduossólidos – passado, presente e perspectivas. Florianópolis,1991. Dissertação (Mestrado em Geografia) – UniversidadeFederal de Santa Catarina.

LIXO HOSPITALAR de Curitiba está sendo queimadoirregularmente.Gazeta do Povo, Curitiba, 23 out. 1998. p.14.

INSTITUTO BRASILEIRO DE ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL.Gestão integrada de resíduos sólidos. Manual degerenciamento integrado de resíduos sólidos. 2. ed. Rio deJaneiro, [s.n.], 2001.IAP/GTZ. Fotografia aérea pancromática. Escala: 1:20.000.26047 Fx04, 1992.

ITC-PR. Fotografia aérea pancromática. Escala: 1:25.000.49668, 1980.

CURITIBA. Prefeitura Municipal. Resíduos sólidos urbanos.Apostila da Secretaria Municipal do Meio Ambiente.Departamento de Limpeza Pública. Curitiba, 1997.

_____.Resíduos sólidos urbanos no Município de Curitiba.Apostila da Secretaria Municipal do Meio Ambiente.Departamento de Limpeza Pública. Curitiba, 1999.

_____.Tabela de RSSS coletados em Curitiba no períodode 1989 a 2001. Departamento de Limpeza Pública. Curitiba,2002.

_____.Tabela de RSSS coletados em Curitiba no períodode 1996 a 2001. Departamento de Limpeza Pública. Curitiba,2002.

PROMOTORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ. Ação CivilPopular n.– 18893, Curitiba: Vara do Meio Ambiente, 10 fev.1999.

SPINA, Maria Inez A. P. Diagnóstico sobre os resíduos sólidosdos serviços de saúde do município de Curitiba. Curitiba,1999. Monografia (Especialização em Gestão e AnáliseAmbiental) - Departamento de Geografia, UFPR.

_____. Análise do gerenciamento dos resíduos sólidos dosserviços de saúde em Curitiba, com ênfase no tratamento edestino final, e implicações socioambientais. Curitiba, 2003.Dissertação (Mestrado) – Departamento de Geografia, UFPR.

SUDERSHA-PR. Fotografia aérea colorida. Escala: 1:30.000.Fx008, 2000




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v9i0.3450

Direitos autorais

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009