Incentivos organizacionais versus um aumento da produtividade e da auto-estima

Nilton Cesar Pasquini

Resumo


Este artigo tem como objetivo verificar qual é o principal agente motivador, entre, autonomia, benefícios, elogios ou reconhecimento, interação e salário. Participou 1732 colaboradores do setor têxtil, 119 do call center, 237 de confecção de roupa, 65 da química, 250 professores, 291 de usinagem e ferramentaria totalizando 2604 entrevistados. O método utilizado para o desenvolvimento desta pesquisa foi o descritivo quanti qualitativo.No primeiro momento, de caráter qualitativo, adotou-se a técnica de incidente crítico, utilizando-se como instrumento de coleta de dados um questionário semi-estruturado com questões abertas e fechadas. Foram realizadas entrevistas com o objetivo de aprofundar a pesquisa sobre o tema de motivação. A escolha da técnica de entrevista decorre do fato dela possibilitar o desenvolvimento de uma estreita relação entre as pessoas convidadas e o tema discutido, pois a pretensão é de se obter dados empíricos. Por qualquer motivo que o ser humano trabalhe por trás quase sempre esta o dinheiro. É um erro citar que o dinheiro não é um dos principais agentes motivadores. A pesquisa detectou pessoas que não gostam do que fazem mesmo assim se destaca na função, mas continuam fazendo devido o salário ser compensador. Há individuo que troca o emprego por outro de menor valor, desde que não afete sua vida familiar e social.

Palavras-chave


Incentivos; Motivação; Satisfação no trabalho

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rqe.v7i2.28138