52 também é uma boa idéia: algumas articulações sobre a carta freudiana de mesmo número

Mário Diógenes Poplade

Resumo


Neste artigo, o autor, privilegiando uma leitura detalhada da carta freudiana de n.º 52, propõe-se a estabelecer algumas articulações em relação ao seu conteúdo. Além da enorme importância para a Teoria Psicanalítica atual, caso alguém tomasse esta carta para prefaciá-la, necessariamente deveria considerar que a missiva dirigida por Freud ao seu amigo de então, Wilhelm Fliess, já continha os germens da inscrição sobre o recalque primário, sobre a pulsão, sobre a constituição do sujeito do inconsciente, assim como um esboço sobre o que viria a ser denominado mais tarde de estruturas clínicas. 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v1i1.7639

Direitos autorais