Critérios de seleção de pais adotivos: em discussão

Lidia Natalia Dobrianskyj Weber

Resumo


Este texto pretende fazer uma reflexão crítica sobre as práticas de seleção das pessoas cadastradas nos Serviços de Adoção dos Juizados da Infância e da Juventude, uma vez que, muitas vezes, este processo seletivo tem sido feito com base em pressupostos dogmáticos acerca do comportamento humano. A presente análise norteia-se pelo pensamento aberto da pós-modernidade, que avalia o pensamento sentencioso como anticientífico e antiintelectual; com a pós-modernidade é preciso crivar nossos preconceitos e não ter medo da ausência de certezas.

“Deus nos dê sabedoria para descobrir o certo, vontade para escolhê-lo e força para fazê-lo durar” (Rei Arthur, no filme Lancelot)

 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v1i1.7638

Direitos autorais