Estudo exploratório - similaridades e diferenças na situação psicoterapêutica: comportamento não-verbal do psicoterapeuta em diferentes abordagens teóricas

Maria Ester Rodrigues

Resumo


O presente trabalho teve por objetivo observar e descrever o comportamento não-verbal de três psicoterapeutas de abordagens diferenciadas, a fim de identificar similaridades e diferenças entre os mesmos, tendo como pano de fundo teórico o movimento denominado Integração Terapêutica e a própria bibliografia de Comunicação Não-Verbal. Foram analisadas fitas gravadas de 9 sessões psicoterapêuticas, três sessões de cada terapeuta. As categorias de comportamento selecionadas foram registradas em intervalos de 10 segundos. Todos os terapeutas apresentaram comportamentos descritos na literatura como típicos de afiliação, empatia e/ou interesse no interlocutor, mostrando-se como pessoas potencialmente reforçadoras. Foram observadas algumas diferenças no comportamento, provavelmente ligadas à abordagem teórica de cada terapeuta, como a presença de toque do paciente apresentado pelo terapeuta reichiano; a maior quantidade de fala e de movimentação generalizada (mãos, braços, cabeça, etc.), apresentada pela terapeuta comportamental e a redução de freqüência desses mesmos comportamentos no caso da terapeuta lacaniana. A maior parte das categorias de comportamento observadas foram apresentadas pelos três terapeutas. As principais diferenças residiram, portanto, na freqüência com que cada categoria foi emitida pelos terapeutas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v1i1.7637

Direitos autorais