Contato interpessoal e crenças sobre homossexualidade: desenvolvimento de uma escala

Elder Cerqueira-Santos, Fernanda dos Santos Winter, Luis Adriano Salles, José Luís Longo, Maycoln Teodoro

Resumo


Este estudo teve como objetivo criar uma escala de crenças sobre comportamentos de homossexuais para estudantes universitários e investigar a relação do contato interpessoal com as crenças sobre homossexualidade. Os participantes foram 442 universitários, 42,5% homens (n=188) e 57,5% mulheres (n=254), cuja média de idade foi de 21,6 anos (dp = 4,0). O instrumento foi composto de um questionário com 29 itens em forma de escala Likert, variando de 1 (concordo inteiramente) a 5 (discordo inteiramente), sobre comportamento de gays e lésbicas. As mulheres relataram mais amizade com homossexuais (Z = 4,69; p<0,001). Análises fatoriais mostraram um modelo de três fatores - representação negativa de gays e lésbicas (α=0,89); representação positiva (α=0,69); e, diferenciação intergrupal entre gays e lésbicas (α=0,69). A solução fatorial explicou 45,7% da variância. Os homens, em comparação com as mulheres, obtiveram maior escore no primeiro fator e menor escore no segundo. Não foi encontrada diferença significativa no terceiro fator. Contato interpessoal foi negativamente correlacionado com representações negativas.

Palavras-chave: orientação sexual; preconceito; contato interpessoal.

 


Palavras-chave


orientação sexual; preconceito; contato interpessoal

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v11i2.6639

Direitos autorais