Uma análise do livro “Deus um delírio” à luz do pensamento de Viktor Frankl

Thiago Antonio Avellar de Aquino, Josilene Silva Cruz, Erick Henrique da Costa Rodrigues

Resumo


RESUMO

O ateísmo pode ser compreendido tanto como uma negação da existência de Deus como um conjunto de justificativas para sustentar esta proposição. Dessa forma, o presente artigo teve como objetivo identificar os diversos matizes de argumentos que refutam a existência de Deus no livro “Deus um delírio” de Richard Dawkins. Desenvolve-se numa perspectiva fenomenológica com o objetivo de tratar do ateísmo como objeto de estudo da Psicologia da Religião. Para tanto, foi utilizado o Método da Classificação Hierárquica Descendente (CHD) por meio do software IRAMUTEQ. Os resultados sugerem três classes de argumentos: por um lado, o científico-materialista, que se contrapõe ao Personalista, e teológico-moral. Os resultados foram analisados à luz da Análise Existencial de Viktor Frankl

Palavras-chave


Ateísmo; Psicologia da Religião; Logoterapia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v23i02.65064

Direitos autorais 2019 Thiago Antonio Avellar de Aquino, Josilene Silva Cruz, Erick Henrique da Costa Rodrigues

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.