Open Journal Systems

Depressão pós-parto e afetos predominantes na gestação, parto e pós-parto

Mariane Teixeira Carvalho, Miria Benincasa

Resumo


O objetivo deste estudo foi comparar os afetos da mãe nos grupos com e sem depressão. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, exploratória, com delineamento de quatro estudos de caso. A pesquisa foi realizada na residência das participantes e a amostra foi constituída por quatro mulheres do Estado de São Paulo, sendo duas que tiveram depressão pós-parto e duas que não tiveram. Os instrumentos utilizados foram à Entrevista Semidirigida, um Questionário Sociodemográfico e a Escala de Depressão Pós-Parto de Edinburgo, aplicados na residência das participantes. Os resultados foram apresentados a partir da análise de conteúdo e discutidos conforme a literatura especializada, revelando que este é um período sentimentos ambivalentes em relação a si mesma, à gestação, às relações sociais e ao futuro. Independente da existência ou não do diagnostico de depressão, houve necessidade de enfrentamento de conflitos individuais e sociais em todas as participantes durante todo o ciclo gravídico puerperal.  Durante o período gestacional, todas as participantes passaram pelo processo de pré-natal, no entanto, as equipes concentraram-se, exclusivamente nas alterações fisiológicas, negligenciando os aspectos sociais e psicológicos, culturais. Sugere-se intervenções voltadas à promoção da saúde integral de mulheres durante o ciclo gravídico puerperal.


Palavras-chave


Depressão Pós-parto. Puerpério. Afetos Positivos e Negativos. Gestação. Violência Obstétrica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v23i02.57188