Contribuições das representações sociais ao estudo da aids

Andréa Barbará, Virginia Azevedo Reis Sachetti, Maria Aparecida Crepaldi

Resumo


O presente artigo tem o objetivo apresentar um breve histórico da aids relacionando os aspectos médicos da doença aos fenômenos sociais, destacando as implicações e conseqüências para o indivíduo de ser portador de uma doença estigmatizante. O assunto foi tratado a partir do referencial teórico da psicologia social, em especial da teoria das representações sociais. Alguns conceitos teóricos necessários para a compreensão do tema também foram abordados: epidemia, prevenção e atitudes. Foram ainda identificadas as pesquisas atuais na área, bem como o enfoque das campanhas de prevenção e a contribuição da teoria das representações sociais para o estudo da doença. Assim, para que seja possível refletir sobre a disseminação da aids devem-se considerar as transformações desta epidemia na sua história, principalmente em relação às formas de transmissão, às tendências de instabilidade e vulnerabilidade da doença, e também aos significados construídos para enfrentar essa realidade.

 

Palavras-chave: representações sociais; AIDS; prevenção.


Palavras-chave


representações sociais; AIDS; prevenção

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v9i2.4783

Direitos autorais