Transplante de medula óssea: uma confluência biopsicossocial

Maribel Pelaez Dóro, Ricardo Pasquini

Resumo


O objetivo deste artigo é verificar alguns componentes da contextualização do transplante de medula óssea e a sua interferência nos cuidados e na interpretação da psique-corpo daquele que perpassa pelo adoecimento. A identificação dos aspectos psicológicos do câncer, do transplante de medula óssea, dos pacientes e da morbidade psicossocial é um passo importante em direção aos planos de intervenções terapêuticas. Psicólogos e médicos podem trabalhar juntos com o intuito de reduzir o estresse e contribuir positivamente na recuperação dos pacientes, pois a vivência do transplante de medula óssea inclui a experimentação de alterações físicas, fisiológicas, mobilizações emocionais, funcionais, sociais, familiares e espirituais.

Palavras-chave: Transplante de Medula Óssea x Confluência biopsicossocial.


Palavras-chave


Transplante de Medula Óssea x Confluência biopsicossocial

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v4i1.3324

Direitos autorais