Filiação Adotiva por Pares Homoafetivos: Um Estudo do Processo e Significados para Famílias Protagonistas

Missilene Menezes Mota, Marlizete Maldonado Vargas, Tatiana Torres Vasconcelos

Resumo


O presente trabalho objetivou conhecer o processo de adoção em famílias brasileiras homoafetivas
cuja prole foi advinda da adoção legal. A pesquisa qualitativa foi desenvolvida por meio de
depoimentos de pares homoafetivos, enviados pela internet, a partir de algumas questões disparadoras.
Foram selecionadas para este estudo quatro famílias que atenderam aos critérios de inclusão e
exclusão, calcados nos objetivos. Quanto aos resultados, apenas em uma delas os parceiros
conseguiram adotar de forma conjunta. No que se refere ao perfil da criança desejada, observou-se
bastante flexibilidade em relação ao sexo, idade e cor. A convivência inicial foi marcada por
dificuldades de adaptação, porém na atualidade é significada como num estágio de superação das
dificuldades. As trocas de ensinamentos e a aceitação da autoridade dos pais ocorreram
simultaneamente ao estabelecimento e fortalecimento dos vínculos afetivos. Conclui-se que os sujeitos
passaram por um processo de adaptação familiar semelhante ao já verificado em outros estudos sobre
adoção de crianças maiores e que a orientação sexual dos pais exerceu pouca influência no processo
de formação das famílias.

Palavras-chave


adoção; famílias homoafetivas; ambiente social

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v19i2.21219

Direitos autorais 2016 Interação em Psicologia