A INCLUSÃO DE MULHERES NO PARLAMENTO COMO MEDIDA DE JUSTIÇA SOCIAL: ANÁLISE COMPARATIVA DOS SISTEMAS DE COTAS DO BRASIL E DA BOLÍVIA

Anna Carolina Venturini, Renata Rocha Villela

Resumo


O presente artigo tem por objetivo analisar os principais argumentos a respeito da representação política como instrumento de inclusão política e justiça social. Para tanto, sua primeira parte destaca como o conceito de representação evoluiu para considerar essencial à democracia a inclusão de grupos, em especial as mulheres, nos processos decisórios. A segunda parte irá abordar a política brasileira de cotas para mulheres, com foco na análise das leis e seus resultados, para verificar quais aspectos têm contribuído para sua inclusão no Poder Legislativo. Ainda nesta seção, far-se-á uma comparação entre as políticas de cotas adotadas no Brasil e na Bolívia, que é o segundo colocado no mundo e o primeiro na América Latina em número de mulheres eleitas. Em arremate, apresentaremos as conclusões no sentido de que a política de cotas de gênero no Brasil ainda não logrou atingir os fins almejados, vez que, para além das previsões legais, pouco foi feito para contribuir com o aumento da presença das mulheres no Parlamento. A partir do estudo comparativo, sustentamos que alguns mecanismos da política de cotas boliviana poderiam ser replicados no Brasil, de modo a proporcionar maior inclusão de mulheres no Poder Legislativo.


Palavras-chave


representação; democracia; justiça; cotas; gênero

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/recp.v7i1.45338